Discernimento Cristão

"Tudo está errado até que Deus endireite"

O Cristianismo e sua Maldita Sedução pelo Poder


Pastor Reichsbischof Ludwig Müller presidente da Liga Evangélica Alemã fazendo a saudação nazista

“Meu conselheiro político é Deus, que me disse para concorrer a Presidência”. (Pastor Pat Robertson, citado na Igreja, revista Times, março de 1988).

Quando os países viviam sob governos absolutistas, o cristianismo oficial sempre teve uma relação muito mais próxima com o Estado, do que em governos democráticos. O cristianismo acomodou alguns dos mais cruéis governantes da história.

Nos últimos séculos a Igreja católica sempre favoreceu os regimes autoritários, e lhes permitiram privilégios, enquanto os negava a governos liberais e democráticos. Por exemplo, em 1862 Pio IX concluiu um acordo com o direitista católico romano presidente do Equador, que havia alcançado o poder através de um golpe contra o governo liberal. Nesse acordo, o catolicismo romano era para ser a única religião permitida, alem de lhe ser atribuído um papel dominante nos assuntos do país. À Igreja foi concedido o controle total da educação. Este era o tipo de arranjo que a Igreja iria tentar repetir sempre que pudesse.

Como ainda faz hoje, a Igreja sentiu-se competente para dar uma orientação sobre questões políticas. Pio IX (1792-1878) proibiu católicos de se envolverem no processo democrático da Itália, fossem como candidatos ou eleitores. O sucessor de Pio XII, Leão XIII (1878-1903), foi um crítico afiado do socialismo e de outras teorias políticas. Seu sucessor, Pio X, que reinou entre 1903 e 1914, consistentemente criticou e reprimiu influências democráticas e socialistas. Por outro lado, ele era extremamente tolerante com grupos de direita como o Action Française na França e Católica Azione na Itália. O Papa Pio XI (1922-1939) tinha idéias igualmente claras sobre a adequação dos governos nacionais. Ele era um feroz opositor do comunismo, mas, no entanto bastante favorável a política de Mussolini, Hitler e Franco, os quais eram de nascimento, católicos romanos.

Papa Pio XI

Em 1928 Pio XI chegou a um acordo simples com Mussolini, em que o divórcio civil não deveria ser permitido na Itália. Nos termos de uma concordata no ano seguinte, ficou acertado que os padres na Itália que deixassem a Igreja seriam penalizados, por exemplo, com a proibição de exercerem certos postos de trabalho. Sob os termos do Tratado de Latrão, o Papa reconheceu o estado da Itália, com Roma como sua capital, recebendo em troca de Mussoline, a Cidade do Vaticano como um Estado independente, uma indenização pela perda dos Estados Pontifícios, e o reconhecimento pelo estado, que o catolicismo romano deveria ser a religião estatal da Itália. O catolicismo se tornou a única religião reconhecida na Itália com o monopólio em áreas como nascimento, educação, casamento e óbitos. Mussolini descreveu o Papa como um “bom italiano”, e o Papa descreveu Mussolini como “um homem enviado pela Providência” (Deus). “Ele também declarou que o tratado tinha trazido a Itália de volta para Deus”. O papa Pio deve ter ficado muito bem impressionada com a capacidade de Mussolini, uma vez que encorajou-o a invadir e colonizar a Abissínia (Etiópia moderna) em 1935. Esse episódio foi uma das justificativas para a realização de várias atrocidades, incluindo o uso de gás venenoso, pois naquele país existia uma forma primitiva do cristianismo considerado pela Igreja Católica como heréticos.

 

Um partido político católico chamado, “Ação Católica”, foi fundado na Itália e copiado na Espanha, Portugal e Croácia para promover os interesses católicos e fascistas. Movimentos de extrema direita eram abertamente apoiados pela Igreja Católica na Áustria, Hungria e Eslováquia. Assim também como na República da Irlanda, onde o movimento “Camisa Azul”, inspirado nos “Camisas Marrom” de Hitler, e nos “Camisas Pretas” de Mussolini, foram dedicados igualmente ao fascismo e a Igreja Católica, que em nenhum momento viu algo errado em sua relação com esses grupos radicais. Um ponto em comum a todos esses movimentos era a exigência da comprovação do “batismo” e “primeira comunhão” na igreja católica como exigência de filiação nesses grupos. Voluntários “camisa azul” lutaram pelo ditador Franco durante a Guerra Civil Espanhola.

Franco gostava de manter relações mais do que cordiais com o papado. O Papa criticou a separação entre Igreja e o estado na Espanha republicana, e Franco o apoiou quando começou a Guerra Civil Espanhola em 1936. Pessoalmente o ditador Franco sentiu-se nomeado por Deus, e considerou a guerra civil espanhola como uma guerra santa. Franco, um cristão devoto, perseguiu os ateus. Ele até mesmo concedeu a Santíssima Virgem Maria o posto de marechal de campo no exército espanhol. A Igreja Romana apoiou Franco em toda parte. A derrubada do governo eleito democraticamente foi saudada como La Crujada – “A Cruzada”.

Pio XII

Quando Franco venceu a sua santa “Crujada”, o papa Pio XII (1939-1958) lhe enviou um telegrama felicitando-o por sua “vitória católica”. O divórcio tornou-se ilegal, o adultério se tornou uma ofensa criminal, a educação religiosa católica foi tornada obrigatória com a Igreja passando a controlar os livros didáticos. Os nomes de registro das crianças tinham que conter pelo menos um nome com conotação religiosa. Cerca de 25.000 casamentos civis foram declarados inválidos. Na Espanha, um acordo com o Vaticano em 1953, tornou ilegal a publicação de obras de religião ou filosofia, sem a aprovação da Igreja Católica Romana.

A Igreja romana teve um tempo um pouco menos fácil com a Alemanha nazista, mas ainda assim, não encontrou muita dificuldade nesse relacionamento. Em 1933 os bispos católicos romanos na Alemanha, numa conferência em Fulda, votaram contra uma resolução crítica do nazismo. Em vez disso, emitiram uma carta pastoral expressando gratidão a Hitler por sua postura moral, suas idéias de moralidade e por se preocupar com questões como planejamento familiar e banho misto *. Como muitos outros líderes cristãos, o Cardeal Faulhaber, arcebispo da diocese de Munique, declarou que Hitler estava no caminho para ser um bom cristão, embora tivesse dúvidas sobre alguns de seus “companheiros”.

Em geral, a Igreja Romana adotou uma atitude positiva para com o regime de Hitler. Assim que ele chegou ao poder em 1933, o vaticano informou que não haveria de sua parte uma política de oposição. Um acordo entre a Alemanha nazista e o vaticano, que foi concluído no mesmo ano, tranquilizou os católicos romanos de que o estado alemão era legítimo e aceitável. O Papa Pio XI teve pouca dificuldade em negociar seu acordo com a Alemanha nazista. Como anteriormente, seguiu-se um acordo no modelo estabelecido com governos autoritários dos tratados de Latrão **. Explicitamente documentada, a relação de parceria entre a Igreja romana e o estado nazista, os uniu na forma tradicional. No Artigo 16 do acordo, por exemplo, incluiu um juramento dos bispos católicos de lealdade ao estado nazista, e no artigo 30 uma oração para o Terceiro Reich *. Como um católico assumido, Hitler tomou decisões fundamentais relativas à Igreja Católica Romana, pessoalmente deixando as Igrejas protestantes em segundo plano. Vale salientar que nenhuma igreja evangélica fez oposição séria contra Hitler alias, muitos evangélicos o apoiaram, alguns até o consideravam como um redentor novo, enviado por Deus. Em 1936, Hitler advertiu o Cardeal Faulhaber que:.. “como o nacional-socialismo (nazismo) era melhor que o comunismo, tudo na Europa seria favorável ao cristianismo e a Igreja” **.

Hitler tinha sido criado como um católico romano, e certamente teria absorvido o anti-semitismo desde seus primeiros anos. Em um discurso feito em abril de 1922 ele havia falado sobre seus próprios sentimentos Cristãos **, e disse que não era apenas possível para um cristão ser anti-semita, mas na verdade era necessário *. Mais uma vez, ele escreveu em sua autobiografia Mein Kampf:

“… Eu acredito que eu estou agindo de acordo com a vontade do Criador Todo-Poderoso: defendendo-me contra os judeus, estou lutando para afirmar a palavra do Senhor” **.

Idéias nazistas sobre os judeus e as medidas contra eles não foram uma invenção da mente contemporânea, elas eram o que a Igreja católica vinha dizendo e fazendo há séculos. Não havia nada de novo no anti-semitismo nazista. Era simplesmente uma nova embalagem do tradicional anti-semitismo cristão. No estatuto da Ordem dos Jesuítas, é proibido a qualquer membro não conseguiu provar que ele não tinha “sangue judeu” dentro de cinco gerações. Este fato foi citado em 1930 por ambos, nazistas e fascistas, como base de apoio para suas idéias anti-semitas.

As intenções de Hitler não eram secretas. Ele prometeu a aniquilação dos judeus, por exemplo, em um discurso bem documentado em 30 de janeiro de 1939. A filosofia de Hitler na perseguição aos judeus foi fundamentada em precedentes cristãos. As diretrizes que Hitler revelou em Nuremberg, em 1935, tinham sido modeladas em parte, nos decretos dos Papas Inocêncio III e Paulo IV. Na Alemanha nazista, os judeus foram novamente privados de direitos civis, e o casamento entre cristãos e judeus alemães foi novamente proibido. Quando os nazistas confinaram os judeus em distritos específicos, conscientemente chamados de guetos, para manter a respeitabilidade diante da população, enfatizavam que o que eles estavam fazendo era exatamente o que a Igreja Romana tinha feito. A referência foi explícita. Antes da guerra, Hitler havia dito ao Bispo de Osnabrück Berning que ele não faria nada que a Igreja não tinha feito ao longo dos últimos 1.500 anos *.

Igreja em Neisse

A igreja em Neisse, na Silésia (uma região dividida entre a Polônia, a República Checa e a Alemanha), foi um precursor dos fornos usados em campos de concentração nazistas. Durante um período de nove anos, em meados de do século XVII em Neisse, mais de duas mil meninas e mulheres, e pelo menos dois bebês, foram assados até a morte nesta cidade fortemente católica.

(Karen Farrington, Punir e Tortura, Livros Bounty, 2001)

 Antes do Holocausto Hitler havia incentivado a expulsão dos judeus da Alemanha, assim como o Papa Leão VII havia feito no ano de 937, quase exatamente 1.000 anos antes. A negação da cidadania aos judeus é datada desde os primeiros dias de poder cristão. Assim também a negação dos direitos civis e as restrições sobre a medicina prática. A Humilhação pública dos judeus antigos era outro passatempo cristão tradicional. Não foram os nazistas que inventaram a idéia de fazer os judeus usarem crachás distintivos; eles simplesmente adotaram as práticas da Igreja católica, até mesmo a cor amarela. Outros grupos minoritários também tinham sido forçados a usar distintivo, apelidados “emblemas da infâmia” pela Igreja, e novas minorias eram obrigados a usá-los sob o regime dos nazistas. A temida SS (polícia secreta de Hitler) usou muito das técnicas de propaganda para inflamar o ódio contra os judeus como os dominicanos e franciscanos tinham usado durante séculos. Não foi por acaso que na fivela do cinto do uniforme da SS, trazia a inscrição, “Gott Mit Uns” (DEUS CONOSCO).

Fivela do cinto do uniforme da SS, trazia a inscrição, “Gott Mit Uns” (DEUS CONOSCO)

Apesar de estátuas cristãs terem sido poupadas, estátuas de bronze espalhadas pela Europa, de pessoas que a Igreja não gostava, foram derretidas para ajudar os nazistas no esforço de guerra. Um exemplo notável foi uma estátua do Chevalier de La Barre, um jovem que havia sido torturado, mutilado e executado por iniciativa da Igreja em 1766, cuja estátua foi derretida para ser transformada em munição em 1941. O libelo (é uma parte de um processo criminal, que tinha como intuito expor o fato criminoso, indicando o nome do réu) de sangue tradicional cristã contra os judeus foi revivido. Em 1934, no Der Stürmer (jornal nazista), em sua 18 ª edição carregava um artigo de primeira página sob o título Jüdischer Mordplan (Enredo dos sacrifícios judaicos), com uma ilustração que mostram judeus drenando sangue das gargantas de criancinhas loiras, recém-nascidas, com cruzes cristãs em segundo plano, fazendo alusão de que os judeus sacrificavam crianças ao seu deus.

Primeira página, Der Stürmer, 18 Ed

 Detalhe da primeira página, Der Stürmer, 18° Edição

 Nos tempos medievais os judeus que foram “beneficiados” com a “justiça católica” tinham sido obrigados a vestirem camisas de enxofre, a fim de ajudá-los a queimar. Os nazistas usaram a mesma idéia básica, mas a realizaram de forma mais eficiente com câmaras de gás e crematórios. Na Alemanha nazista, cidades ostentavam faixas escrito que estavam livres de judeus, assim como os católicos haviam feito nos tempos medievais. O conceito de culpa coletiva que se atribuía aos judeus, a queima de livros, a destruição de sinagogas, tudo isso eram tradicionais idéias e práticas cristãs promovido pela Santa Madre Igreja e infelizmente validadas por homens como Lutero.

Enquanto a encíclica Divini Redemptoris (Carta de cunho normativo do papa Pio XI) explicitamente condenava o comunismo na Rússia, México e Espanha, a encíclica dirigida simultaneamente aos alemães católicos, não conseguiu fazer qualquer crítica explícita ao nazismo e, consequentemente, teve pouco ou nenhum impacto. No Artigo 24 º do programa do partido Nazista declarou explicitamente que “O partido nazista, como tal, representava o ponto de vista do cristianismo positivo”, e sua proteção estava garantida pela igreja. Quando a Alemanha nazista invadiu a Checoslováquia em 1939, o recém-eleito papa Pio XII se recusou a criticar o ato de agressão, descrevendo-o como um dos “processos históricos em que, do ponto de vista político, a Igreja não está interessada”. No mês seguinte, ambos, católicos e evangélicos, soaram os sinos de suas igrejas em comemoração ao aniversário de 50 anos de Hitler, e o cardeal Bertram ainda lhe enviou um telegrama de congratulações. Ao longo da guerra, os sinos das Igrejas tocaram, não só para o aniversário de Hitler, mas também para cada uma de suas vitórias, pelo menos até os sinos serem derretidos para ajudar o esforço de guerra nazista. Quando Hitler anexou a Austria à Alemanha, Hitler foi recebido em Viena (capital da Austria) pelo Cardeal Innitzer, que proclamou a anexação de ter sido ordenada pela providência divina. O próprio Hitler na ocasião referiu-se à providência divina como controladora de suas ações **. Aqui está ele em um de seus discursos que justificam o seu anti-semitismo:

“Meus sentimentos como cristão, são para me colocar junto ao meu Senhor e Salvador como um lutador… No amor, sem limites, como cristão e como homem leio a passagem que nos diz como o Senhor, finalmente, expulsou do Templo, a ninhada de víboras e serpentes. Como foi fantástica Sua luta pelo mundo contra o veneno judeu… *

Adolf Hitler

“Eu sou um católico e sempre serei assim” (Adolf Hitler, de John Toland [vencedor do Prêmio Pulitzer], Adolf Hitler , New York: Anchor Publishing, 1992, p. 507)

“O homem disposto, em particular, tem o dever sagrado, cada um em sua própria denominação, de fazer as pessoas pararem de apenas falar superficialmente da vontade de Deus, e realmente cumprir a vontade de Deus, e não deixar que a palavra de Deus seja profanada. A vontade de Deus deu aos homens a sua forma, sua essência e suas habilidades. “(Adolf Hitler, Mein Kampf , Ralph Mannheim, ed, New York:. Mariner Books, 1999, p. 562)

 “Por isso hoje eu acredito que eu estou agindo de acordo com a vontade do Criador Todo-Poderoso: defendendo-me contra o judeu, estou lutando pelo trabalho do Senhor “(Adolf Hitler, Mein Kampf , Ralph Mannheim, ed, New York:. Mariner Books , 1999, p. 65)

Adolf Hitler

 Há pouca diferença na capelania dos militares em qualquer nação, especialmente entre os militares dos EUA, que treinam pessoas, não só em como matar e torturar, mas também exigem que os recrutas participem da capela, leiam a Bíblia, e portem de armas com citações da bíblia.

Nos anos de 1939 e 1940, o Papa Pio XII e uma série de bispos, eram extraordinariamente esfuziantes em suas saudações pelo aniversário do Führer. No 51 ª aniversário de Hitler, em 20 de Abril de 1940, o cardeal Bertram transmitiu as “mais calorosas felicitações” em nome de todos os bispos na Alemanha, e assegurou a Hitler que estas congratulações foram associadas com orações fervorosas que os católicos da Alemanha estavam enviando aos céus para o exército, a pátria e para o Führer” * Esse sentimento ecoou em todos os aniversários subsequentes até o suicídio de Hitler. Quando ele soube da morte de Hitler em 1945, o cardeal escreveu de próprio punho, instruindo todos os sacerdotes em sua arquidiocese a manterem um réquiem (Na liturgia cristã, é uma espécie de prece ou missa especialmente composta para um funeral) em memória do Führer, e todos os membros da Wehrmacht (Exercito) que caíram na luta pela nossa Pátria…” **. De acordo com a Lei Canônica da época, um réquiem solene poderia ser realizado apenas por um interesse público da Igreja. Ao contrário da invasão da Checoslováquia, este foi um processo histórico no qual a Igreja estava interessada.

Não são coincidência que os grupos que mais sofreram sob o Terceiro Reich eram precisamente os grupos tradicionalmente perseguidos pelo o cristianismo – os judeus, os homossexuais, os deficientes físicos e mentais, ciganos e outros dissidentes da ortodoxia atual. Testemunhas de Jeová, e outros que foram mortos por suas crenças pelos nazistas, deviam ser vistos como sucessores dos hereges que foram mortos por se recusarem a jurar lealdade e por se recusarem a se alistar em exércitos ou combater nas guerras católicas.

Pio XII, embora nominalmente neutro, pareceu a muitos favorecer as potências do Eixo durante a Segunda Guerra Mundial. Ele não podia pôr-se a criticar as atrocidades nazistas. Ele também não viu necessidade de criticar os muitos bispos e padres que apoiaram os nazistas e colaboraram com eles. Depois da guerra, o comportamento do Papa foi explicado pelos leais católicos romanos de diversas formas: “o Papa não tinha conhecimento das atrocidades, ou ele sabia, mas sentia-se incapaz de falar, porque ele não interfere em questões políticas, ou ele tinha assuntos mais importantes a tratar, ou, alternativamente, ele não poderia tomar uma posição por causa da vulnerabilidade do Vaticano, que era melhor para a Igreja aquietar-se neste momento de dificuldade para que pudesse ser de ajuda após a guerra terminar. Todos esses argumentos são insustentáveis *. Em primeiro lugar, o Vaticano sabia muito bem sobre as atrocidades nazistas. Num determinado estágio da guerra, emissoras de rádio do Vaticano fizeram críticas, mas os nazistas reclamaram e as críticas cessaram imediatamente. Jan Karski (famoso líder do movimento de resistência polonês e o presidente da Polônia, em nome dos judeus do gueto de Varsóvia, pediram ao Papa para excomungar os responsáveis pela perseguição e assassinato do povo judeu. A resposta foi não. O assassinato em massa de judeus foi relatado diretamente ao Papa por Reigner Gerhardt (advogado judeu que antes da guerra era encarregado nas conversações entre o vaticano e o judaísmo), mas novamente nenhuma providência foi tomada. Quando o governo dos EUA pediu que se o Vaticano poderia confirmar a informação sobre o genocídio dos judeus, o vaticano se se recusou a fazê-lo. Joseph Goebbels (ministro da propaganda de Hitler) foi excomungado pelo papa por ter casado com uma protestante divorciada, mas nem um único católico nunca foi excomungado pela participação em crimes de guerra, apesar do numero de católicos praticantes no exercito nazista serem de 30%, e 25% na SS. (O balanço foi feito por membros de outras denominações cristãs). Exceto as Testemunhas de Jeová, é difícil encontrar mais do que um punhado de cristãos cujo comportamento se aproximava o que poderia ter sido razoavelmente esperado de todos os cristãos, o que explica os poucos nomes nesta lista de dissidentes cristãos, (Deitrich Bonhoffer, Martin Niemoller, etc). Como vemos a resistência nuca passou de uns poucos, e jamais significou a opinião dos cristãos em si, fossem católicos ou evangélicos.

A história sobre o Papa não querer interferir na política também é difícil de sustentar: nunca houve um tempo desde a criação do papado que eles não estivessem participado ativamente na política de numerosos países. Muitas pessoas ao longo da história da igreja romana foram excomungadas por razões puramente políticas, mas para o vaticano, não havia motivo suficiente para excomungar Hitler e seu governo. (Vale ressaltar que o Papa freqüentemente ameaçou excomungar os comunistas por causa de suas crenças.) Além disso, o Papa tinha um interesse ativo na condução da guerra e sentiu-se livre para falar sobre isso. Por exemplo, ele estava preparado para falar contra os aliados, quando ele pensou que poderiam bombardear Roma.

O argumento de que o Holocausto era relativamente sem importância para o Papa é também difícil de sustentar em vista de outros assuntos que foram ocupando seu tempo. Ele ficou, por exemplo, preocupado com o perigo de homens negros em sua propriedade. Quando Roma foi libertada pelos aliados, o papa pediu que os aliados não usassem soldados negros para guarnecer o Vaticano. Finalmente a desculpa de que sua segurança pessoal era necessária para a sobrevivência da Igreja não pode ser sustentado como desculpa para não intervir junto aos nazistas. O Papa poderia ter dado a orientação implícita, mesmo que ele temesse dar orientação explícita. Ele poderia, por exemplo, afirmar que a obrigação de amar o teu próximo como a ti mesmo se aplica a todos os vizinhos, não apenas os cristãos. Ele poderia ter declarado que há circunstâncias em que as ordens militares podem ser desobedecidas. Ele poderia ter apontado que Maria, Jesus e os apóstolos eram todos judeus. Ele poderia ter dito que o assassinato em massa era contrário a um dos dez mandamentos. Ele poderia ter feito qualquer uma dessas coisas sem pôr em perigo a si mesmo, no mínimo. Além disso, para além de quaisquer considerações de ordem ética, é um fato que Pio manteve em silêncio, mesmo quando não corria mais perigo, depois que a cidade de Roma estava à salva, e os aliados estarem vencendo e Alemanha. Fica claro que o papado era muito mais simpático aos nazistas e fascistas do que com as democracias. Somente após a guerra estar perdida, Hitler morto e unânime opinião pública mundial revelar sua desaprovação, o Papa divulgou em fala na sua faculdade de cardeais, que o nazismo tinha sido um “espectro satânico” e uma “apostasia arrogante frente a Jesus Cristo”.

O papa Pio também gostava de ter relações amistosas com o governo francês de Pétain Vichy (Uma vergonha na história da França), por ser Pétain, outro interessado líder católico romano com um gosto para exterminar judeus e outras minorias. O Marechal Pétain e seu governo foram nomeados em julho de 1940 por uma votação esmagadora no Parlamento francês. Sob seu governo, judeus foram arrebanhados pela polícia francesa, amontoados em caminhões de gado e enviados para campos de extermínio nazistas. Ao todo, mais de 70.000 judeus franceses foram expulsos por seus vizinhos cristãos, para nunca mais voltar. Apesar de não criticar tais atrocidades, o Papa fez mais uma vez conseguiu encontrar tempo para condenar o comunismo. Ele também encontrou tempo para lamentar os termos da rendição exigida pelos aliados em Casablanca. Mesmo depois da guerra, o papa Pio nunca encontrou tempo para fazer declarações públicas contra o nazismo, o genocídio, as armas atômicas ou guerra global. Ele estava ocupado com assuntos como a assunção corpórea de Maria ao Céu, que ele estava a proclamar em Munificentíssimo Deus em 1950.

Significativamente, nenhuma das principais igrejas cristãs manifestou-se contra os excessos do nazismo. É bem verdade que protestou em voz alta sobre a remoção dos crucifixos das paredes de sala de aula feita pelos nazistas, mas foram indiscutivelmente silêncios em relação eutanásia praticados pelos nazistas nos alcoólatras, doentes mentais, doentes congênitos, pessoas depressivas e etc. O papa não apresentou qualquer objeção e não fez nenhuma crítica pública sobre as sucessivas invasões de países, a supressão da liberdade de expressão, a revogação da democracia, assassinatos judicial, ou a campos de concentração levado á frente pelos nazistas. Fizeram, no entanto, preces ao Senhor das Batalhas (Deus) para a vitória do Führer.

Desde o final da guerra, os bispos alemães têm falhado consistentemente em reconhecer o seu papel no sucesso das perseguições nazistas, fato que mantém viva uma grande dose de amargura, na Alemanha e em outros lugares. Nos últimos anos os bispos católicos alemães têm chegado mais perto de admitir sua cumplicidade com o nazismo, mas a sua incapacidade de fazer claramente qualquer tipo de admissão, continua a irritar muita gente.

 

Missa para os fascistas da terrível Ustasa, milícia católica croata

Em toda a Europa, grupos de católicos romanos cometeram atrocidades durante a Segunda Guerra Mundial. O Ustasa (organização croata católica de extrema-direita), que foram ultranacionalista e fascista, superou os nazistas em sua barbárie contra os sérvios ortodoxos e partidários, e dando assistência ao extermínio dos judeus. Alguns de seus líderes, que juntos foram responsáveis por centenas de milhares de assassinatos, foram franciscanos. Um desses franciscanos, comandante do campo de concentração Jasenovac, conhecido como “Diabo Brother” (Irmão Diabo), foi responsável por 40.000 vidas ou mais. Outros clérigos também encontraram uma causa comum com os nazistas. O Presidente da Eslováquia (estado satélite da Alemanha nazista), Joseph Tiso, era um líder nazista responsável para a criação de campos de concentração no seu país. Mas esta não era a sua única vocação, o presidente Tiso também era um sacerdote católico romano. Ele foi executado pelos seus crimes em 1946. Outros bispos e sacerdotes foram responsáveis por milhares de mortes, tendo colaborado livremente com as autoridades nazistas.  Aqui o Dr. Joachim Kahl, um historiador da Igreja, ex-pastor, fala sobre o movimento católico romano fascista na Croácia, que floresceu entre 1941 e 1944:

O Ustasa, já que era assim que esta organização terrorista era chamada, foi responsável pela conversão forçada de cerca de 240.000 sérvios ortodoxos ao catolicismo romano e por colocar cerca de 750.000 destas pessoas no corredor da morte. Havia, desde o início, uma estreita colaboração entre o clero católico e o Ustasa. O Arcebispo Stepinac, a quem o Vaticano designou em 1942 para ser o líder espiritual do Ustasa, tinha um lugar, junto com dez de seus clérigos, no Parlamento Ustasa. Padres também foram empregados como chefes de polícia e como oficiais da guarda pessoal do fanático chefe do estado croata, Pavelic. Freiras marcharam em desfiles militares imediatamente atrás dos soldados, os braços levantados na saudação fascista. Abadessas (freira do mais alto grau de um convento) foram decoradas com a ordem Ustasa. A parte mais cruel desse movimento foi, no entanto dos franciscanos, cujos mosteiros vinham já há algum tempo, usados como arsenais de armas. Vários monges e padres concordaram em trabalhar como executores nos campos de concentração criados às pressas para que os sérvios ortodoxos fossem enviados para a execução em massa por decapitação. Estes massacres eram tão brutais que até mesmo da Croácia, os próprios nazistas alemães protestavam contra eles e petições foram enviadas para o Vaticano. O Papa Pio XII, no entanto, não disse nada, assim como ele também não disse nada sobre Auschwitz. Não foi até há cerca de dez anos depois, em 1953, que o silêncio foi quebrado pelo Arcebispo Stepinac, que, como um daqueles que ostentam a maior culpa, tendo sido condenado pelo Tribunal Popular Supremo da Jugoslávia a 16 anos de trabalhos forçados, foi elevado pelo vaticano ao posto de cardeal por seus “excelentes serviços” à Igreja **.

Cardeal Stepinac, Arcebispo de Zagreb, tinha sido preso sob a acusação de colaboração. Na Ucrânia, a Igreja Uniata (que deve obediência a Roma) foi igualmente associada ao nazismo. Um certo número de bispos Uniate foram presos após a guerra, condenados como colaboradores, e recebido longas penas de prisão.

Papa Pio XII tinha sido feliz o suficiente para receber Pavelic, em 1941, após a sua onda de assassinatos. (Foi nesta reunião que um oficial britânico no Ministério das Relações Exteriores para descreveu o papa como “o maior covarde moral de nossa época”).

Já no fim da Segunda Guerra Mundial, o Vaticano ajudou criminosos de guerra nazistas a escaparem da repressão, emitindo passaportes falsos do vaticano a fim de removê-los para países seguros. Em um caso conhecido, (o de Paul Touvier, a que voltaremos) um criminoso condenado foi transferido de um Estado europeu para outro por mais de 30 anos, entrando em países de forma ilegal e refugiando-se em conventos da Igreja. Mais geralmente, esses criminosos foram transferidos para a segurança de países católicos romanos. Muitas vezes, eles foram abrigados em mosteiros. Até passaportes da Cruz Vermelha foram conseguidos, e depois esses criminosos escaparam para países como Espanha e Argentina com a ajuda do vaticano**. Às vezes, eles até se vestiam como sacerdotes para facilitar a viagem **. Descobriu-se que o ouro tirado de judeus, sérvios e ciganos foi espirituosamente usado pelo Vaticano para financiar o trabalho de salvar criminosos de guerra e condenados **. O Vaticano subsidiou passaportes, documentos falsos, dinheiro, abrigo, através de uma rede internacional de contatos de simpáticos colaboradores católicos. O Vaticano continua silencioso sobre o assunto porque grande parte dos homens responsáveis por essas ações realizadas possuem altos cargos no Vaticano até o final de 1980 pelo menos.

Admissões de erros são atípicos dentro da Igreja. O Mais usual é o padrão da negação e de obstrução. Um caso semelhante aconteceu em 2005 em relação a eventos relacionados com o desmembramento da Jugoslávia na década de 1990. A Igreja era suspeita de abrigar Ante Gotovina, que havia sido acusado de crimes contra a humanidade. Ele era procurado em conexão com o assassinato e a deportação de mais de 200.000 pessoas durante uma ofensiva croata, a Operação Tempestade, em 1995. A procuradora da ONU, Carla Del Ponte, acreditava que a Igreja croata estava escondendo o criminoso em um mosteiro franciscano. O Papa se recusou a responder suas cartas. O Vaticano disse que não tinha conhecimento de seu paradeiro. Um porta-voz dos bispos croatas em uma conferência comentou que “um mosteiro” franciscano é uma coisa muito vaga, e que ela dissesse onde ele estava, sugerindo que eles não estavam preparados para interrogar os frades. Del Ponte não tinha dúvida de que o Vaticano poderia ter descoberto onde Gotovina estava escondido dentro de alguns dias, se assim quisesse, e comentou publicamente que “O Vaticano se recusa totalmente a colaborar conosco” **.

Dentro da Igreja Católica Romana, o apoio explícito a organizações de extrema-direita ainda é comum. Na França, ainda são feitas missas para o marechal Pétain, e folhetos para da Frente Nacional, do fascista Jean Marie Le Pen, estão disponíveis nas portas das igrejas **. A Igreja olha também para os neofascistas na Itália, com uma tolerância gentil. Quando Giorgino Almirante, líder do partido fascista MSI, morreu em 1988 seu corpo foi levado com horas de estado para a igreja de Sant “Agnese in Agone em Roma. Após gritos empolgantes de” Duce! Duce! ““, de uma multidão de 10.000 pessoas, e uma saraivada de saudações de braço direito entendido, o corpo foi levado para a igreja por um líder neofascista. Lá, oito sacerdotes, serviam nos trabalhos da missa fúnebre, em meio as bandeiras fascistas, penduradas ao redor do altar. O sermão refletiu fielmente as opiniões políticas do homem morto, incorporando citações de sua vida e de pensamentos fascistas *.

Em outros lugares, o Vaticano freqüentemente deu apoio a grupos de direita. Em 1946 o Cardeal Mindszenty organizou um lote de terreno com a ajuda do fascista Seta Cruz e Spellman Cardinal para derrubar o governo húngaro. O fascismo teve um bom amigo na Igreja Católica Romana. Clérigos têm apoiado todas as ditaduras de direita, desde Espanha sob Franco e Salazar em Portugal, a várias ditaduras sul-americanas sob juntas militares.

A posição dos evangélicos é um pouco melhor do que a dos católicos romanos. Lutero havia afirmado que a Bíblia confirma o direito do Estado para governar pela força, e descreveu isso como uma disposição benevolente de Deus. Os protestantes foram assim, felizes em aceitar uma ditadura nazista e colaborarem com os nazistas, tanto quanto seus irmãos católicos. Em 3 de abril 1933, evangélicos alemães, na primeira Conferência Nacional do Movimento da Fé, firmaram uma resolução que afirmava que a Igreja alemã é uma comunidade de crentes que estão sob a obrigação de lutar por uma Alemanha cristã. Na década de 1930, o cristianismo evangélico alemão, entendeu que o nazismo e o cristianismo eram perfeitamente compatíveis, e assim se tornaram a maior facção evangélica. Eles eram liderados por Reichsbischof Ludwig Müller, um pastor escolhido de Hitler, que considerava o Führer e os nazistas como “presentes de Deus”. Seu lema era “A suástica em nossos peitos; a cruz em nossos corações”. Seus sínodos aprovaram a lei ariana. Eles cantavam hinos nazistas, bandeiras nazistas eram penduradas em suas igrejas. Seus pastores usavam uniformes nazistas. Suas Igrejas eram um braço do Estado. Assim com a Igreja Católica Romana eram financiada pelo Estado, eles eram beneficiados com impostos públicos. Igrejas evangélicas defenderam a obediência a Hitler, e orações para ele e para o Terceiro Reich. Congregações inteiras faziam saudações nazistas nas Igrejas. Pastores pediam a bênção de Deus para aqueles que aceitavam o chamado de Hitler. Após a tentativa frustrada de matar Hitler em 20 de julho de 1944, o Conselho da Igreja Evangélica Alemã, enviou um telegrama para ele que disse: “Ações de Graças estão sendo oferecidas em todas as Igrejas evangélicas da Alemanha para a sua proteção, através da graça de Deus e para sua preservação… “Os líderes católicos romanos fizeram o mesmo. O Cardeal Michael Von Faulhaber, arcebispo de Munique, (mais tarde ordenado Joseph Ratzinger) enviou um telegrama instruindo que um Te Deum (é um hino litúrgico católico atribuído a Santo Ambrósio e a Santo Agostinho, iniciado com as palavras “Te Deum Laudamus” (A Vós, ó Deus, louvamos) ser cantado na catedral de Munique”, para agradecer a Providência Divina, em nome da arquidiocese, por Hitler ter escapado. O Papa também enviou suas congratulações pessoalmente. *

Nenhuma das principais Igrejas cristã ofereceu qualquer oposição significativa. Alguns pastores evangélicos isolados foram presos por se opor ao Estado nazista. Entre bispos católicos romanos um foi expulso da sua sede. Dificilmente qualquer clérigo de qualquer denominação manifestou-se contra os males do nazismo. Por razões políticas, governos e Igreja muitas vezes se recusaram a mostrar solidariedade com aqueles que haviam sido presos e condenados por se opor ao governo nazista **. Como Konrad Adenauer escreveu mais tarde a um pastor:

Acredito que se todos os bispos tivessem feito juntos declarações públicas nos púlpitos em um determinado dia, eles poderiam ter evitado um grande desgraça. Isso não aconteceu, e não há desculpa para isso. Não teria sido nada mau se os bispos tivessem sido postos na prisão ou em um campo de concentração como resultado. Muito pelo contrário. Mas nada disso aconteceu e, portanto, é melhor ficar quieto **.

Durante a última parte do século XX, a Igreja Romana em grande parte da América do Sul abandonou seu tradicional bloco de amigos da direita e, para o aborrecimento do Vaticano, defendeu a Teologia da Libertação, um sistema de pensamento beirando o marxismo. Enquanto padres e bispos apóiam os revolucionários, o seu papel tradicional tem sido tomado por batistas e outros evangelistas dos EUA, que acham que seu Deus tem uma forte afinidade para as ditaduras. Estudos sociológicos têm freqüentemente observado a ligação entre o fundamentalismo protestante e de extrema-direita na política nos EUA (e às vezes entre o fundamentalismo católico romano e a extrema-direita política). Um estudo mostrou que os fundamentalistas protestantes responderam por grande parte do apoio dado a George Wallace na eleição presidencial de 1968 nos EUA *. A extrema-direita política é adotada por organizações cristãs fervorosas como a Ku Klux Klan e o John Birch Society (um grupo extremista fundado por um missionário batista). O afeto entre religião e política extrema é mútuo. Como um comentarista observou: “Todas as ditaduras de direita hoje têm se estabelecido com o apoio de igrejas de uma grande religião mundial ou de outra tradicional corrente anti-semita como os cristãos neonazistas. * O único partido político da Grã-Bretanha que exige fidelidade religiosa para seus membros é o Partido Nazista” **.

Fonte: http://www.badnewsaboutchristianity.com

“Embora a bíblia seja explícita em seu desprezo por política, parece que a cristandade sempre consegue “pular o muro” e se associar com o poder, para a vergonha dos crentes lúcidos. Aqui no Brasil não poderia ser diferente. A maioria das igrejas evangélicas tem seus candidatos e suas correntes políticas, e seus líderes são até capazes de abrir a bíblia e “arranjar” um versículo para legitimar sua delinqüência. Alguém se lembra do candidato Garotinho e seu cabo eleitoral Malafaia, ou do politizado Caio Fábio dos anos 90, todos pegos em falcatruas…? Do namoro até então impossível entre o ateu e neo comunista Lula e o tenebroso bispo Macedo?… Os interesses unem as mais estranhas criaturas…

E do manhoso Rick Warre, pastor predileto do esotérico Obama? E da bancada evangélica que sempre é pega com o rabo prezo em corrupção? Que vergonha…

“Na bíblia, somos chamados a orar pela liderança para ter tempos melhores, o que passar disso é má interpretação do texto bíblico ou má intenção mesmo”.

Roberto Aguiar

Notas

§§. Uta Ranke-Heinemann, Eunucos pelo Reino do Céu, p 299.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler, p 67.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler, p 67.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler , p 147 citando L. Volk, Akten Kardinal Michael von Faulhabers 1917-1945 , vol. II, 1935-1945, Mainz 1978, p 185.

 §§. Adolph Hitler, a partir de um discurso proferido 12 de abril de 1922 na Baviera, publicado em “My New Order”, disponível em Inglês dos livros Octagon (1973) e Livros Hippocrene (1973): “Meu sentimento como cristão aponta-me a meu Senhor e Salvador como um lutador. Aponta-me o homem que em solidão, rodeado apenas por alguns seguidores, reconheceu esses judeus pelo que eram e convocou homens para lutar contra eles e que isso é a verdade de Deus!

 “No amor sem limites, como cristão e como homem, eu leio a passagem que nos diz como o Senhor, finalmente, aumentou em Seu poder e empreendeu o flagelo para expulsar do Templo a raça de víboras e serpentes. Como foi terrível sua luta contra o veneno judeu.

Adolph Hitler

 “Hoje, após dois mil anos, com a mais profunda emoção reconheço mais profundamente do que nunca o fato de que foi por isso(aniquilar os judeus) que Ele teve que derramar seu sangue na cruz.

Adolph Hitler

 “Como cristão não tenho obrigação de me permitir ser enganado, mas tenho o dever de ser um lutador da verdade e pela justiça…

Adolph Hitler

 “E se há algo que poderia demonstrar que estamos agindo corretamente, é a angústia que cresce diariamente. Pois, como cristão, tenho também um dever para com meu próprio povo. E quando eu olho para o meu povo, e vê-los trabalhar e trabalhar e trabalho e trabalho, e no final da semana eles têm apenas sua miséria de salários …

Adolph Hitler

 § . Scholder, A Requiem for Hitler, p 172.

 § . Adolf Hitler, Mein Kampf, 60, citado por Scholder, A Requiem for Hitler, p 173.

 §§. Joachim Kahl, A Miséria do cristianismo, p 60 citando Friedreich Heer, Gottes Erste Liebe, Munique e Esslingen, 1967, Mittelalter, Zürich, 1964, p 406. Notas sobre o encontro entre Hitler, Berning Bispo e o monsenhor  Steinmann: “O Tema, a comum luta contra o liberalismo(democracia), socialismo, bolchevismo. A conversa tinha um tom muito amigável. Hitler também diz que não vai tomar nenhuma medida contra os judeus que a Igreja não tenha tomado em 1.500 anos. Isso nunca foi contestado por pelos líderes cristãos! Hitler diz que ele é um católico e que a guerra com os poloneses está eminente, precisamos de soldados obedientes através do doutrinamento religioso”!

 § . JI Kertzer, The Modern Use of Lies Antiga, The New York Times , 9 de Maio de 2002.

 §§. Em 1976 a Igreja Nova Cruzada Cristã, com sede em Louisiana, impresso “O Julius Streicher Memorial Edition” da edição de 1934 “O Ritual de Assassinato”. De acordo com a introdução: “Julius Streicher, educador alemão, escritor e político, em cuja memória deste trabalho foi impressa, foi uma vítima do Rito horrível talmúdico de sangue conhecido como o Julgamento de Nuremberg… Agora temos o orgulho de apresentar a você leitor, pela primeira vez, em Inglês, esta nova edição de emissão Julius Stricher (sic) mais famoso de Der Sturmer (sic).” Veja http://www.calvin.edu/academic/cas/faculty/streich3.htm

 §§. Scholder, A Requiem for Hitler, p 67.

 §§. Discurso de 12 de Abril de 1922, citado em Norman H Baynes (ed), os discursos de Adolf Hitler 1922-agosto de 1939, 2 vols. (OUP, 1942), Vol. 1, pp 19-20.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler , pp 161 e 164, citando W. Adolph, Hirtenamt Hitler und-Diktatur (Berlim, 1965), pp 16 e ss.

 §§. Scholder, A Requiem for Hitler, p 166, citando Archivum Archdiecejalne Wroclaw, Registratur IA 25, linha 19, Fürstbishof Adolph Kardinal Bertram. (Cardeal Bertram foi Arcebispo de Breslau.)

 §§. A refutação que se segue é baseada não só no padrão de obras históricas, mas também sobre as contas pessoais dos envolvidos mostrados em um programa de televisão no Reino Unido: “reputações” BBC2, 15 de Janeiro de 1995.

 §§. Joachim Kahl, A Miséria do cristianismo (tradução Inglês por ND Smith), Penguin Books, p 72.

 §§. Um mosteiro notável é o mosteiro Bonaventura nas colinas de Roma Frascati, que protegia uma série de criminosos de guerra, incluindo Adolf Eichmann, de acordo com o Centro Weisenthal. Nesse mesmo mosteiro depois extraditado desde alojamento para julgamento de criminosos de guerra à espera (como Erich Priebke), um oficial comentando “Nossa política é de perdão”. De acordo com o Centro de Weisenthal, passaportes da Cruz Vermelha foram obtidos utilizando os documentos fornecidos por um número de comissões do Vaticano criado ostensivamente para ajudar o Leste Europeu a escapar da temida perseguição aos católicos. Veja The Times de 23 de Julho de 1997 e The Sunday Telegraph, de 27 de Julho de 1997.

 §§. Ante Pavelic, o fundador da Ustasha, era um dos criminosos de guerra que se beneficiaram do Vaticano “rota do rato”. Ele fugiu para Roma em 1946 e dois anos mais tarde apareceu em Buenos Aires vestido como um padre e carregando um passaporte da Cruz Vermelha. Outro foi Erich Priebke (deputado ao comandante SS em Roma, Herbert Kappler). Ele havia fugido para a Argentina, também levando um passaporte da Cruz Vermelha. Ele foi extraditado para a Itália em 1995 e condenado em 1997. Veja O Número de 23 de Julho de 1997 e The Sunday Telegraph, de 27 de Julho de 1997.

 §§. A existência desse “ouro-line” foi confirmada quando o papel dos bancos suíços em lidar com ouro nazista foi exposto em 1997. A nota de uma agente do Tesouro dos EUA Emerson Bigelow para Harold Glasser datada de 21 de outubro 1946 relatou o que tinha acontecido a 350 milhões de francos suíços que representam o valor do ouro e jóias saqueados pelos Ustasha de 900.000 judeus, sérvios, ciganos e outros. Uma remessa no valor de 150 milhões de francos suíços havia sido interceptada pelos britânicos na fronteira austro-jugoslava, e os 200 milhões restantes haviam chegado ao Vaticano, de onde foi espalhado boatos para ter sido processado através de “pipeline” do Vaticano para a Espanha e Argentina. Detalhes foram amplamente divulgados na imprensa internacional em julho de 1997. Ver, por exemplo, The Times de 23 de Julho de 1997 (“Vaticano” agiu como canal para Nazi tesouro “” e O Sunday Telegraph, de 27 de Julho de 1997 (“Vaticano” usado Nazi ouro para ajudar os criminosos de guerra “”.

 §§. “Vaticano Churchmen” Ajudado nazistas Escape “”, The Independent, th 06 de janeiro de 1988 citando o cardeal Franz König no jornal israelense Yediot Ahronath.

 §§. International Herald Tribune , 21 de setembro de 2005, World News, p3, “a Igreja rejeita acusação de abrigar suspeitos de guerra”

 §§. http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/4263426.stm

 § . “Out of France”, The Independent , the 06 de julho de 1988.

 §§. “Fascista Farewell, com estilo Armani”, The Independent, dia 25 de Maio de 1988.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler, p 117 para a reação protestante.

 § . Scholder, A Requiem for Hitler , p 138.

 §§. Scholder, A Requiem for Hitler, 139 p citando uma carta de Adenauer ao Pastor Bernhard Custis, 23 de fevereiro de 1946, citado em Adenauer, Briefe 1945-1947 (Letters 1945-1947), Rhöndorf Edition, Berlin 1983, pp 172 e ss.

 §§. Argyle e Beit-Hallahmi, A Psicologia Social da Religião, p 106.

 §§. O Stormfront site neonazista tem uma seção inteira dedicada à tradição pró-cristão e anti-semita com a qual associa-se, falando sobre a sua identidade “cristã http://www.stormfront.org/posterity/13texan/ reivindicações e fazer como o “Cristo não era um judeu” http://www.stormfront.org/posterity/13texan/christ.html. No site você vai encontrar numerosas citações de nomes como Padre Denis Fahey um professor de teologia anti-semita em Dublin (falecido em 1954) que pensavam que a Rússia de Stalin era um Estado judeu controlada. Aqui está um par de extratos típico “… Bolchevismo em sua perspectiva correta, ou seja, como o desenvolvimento mais recente na luta secular travada pela nação judaica contra… “Cristo…” (Padre Denis Fahey, os governantes da Rússia, p. 48, citado no http://www.stormfront.org/posterity/13texan/q651-700.htm, citar 671, e “As forças reais por trás bolchevismo é a Rússia são judeus forças, e o bolchevismo é realmente um instrumento nas mãos dos judeus para o estabelecimento de seu reino messiânico futuro. “Padre Denis Fahey; Os Governantes da Rússia, página 25: citado por http://www.stormfront.org/posterity/13texan/q801-850.htm, citação 815.

 §§. Tribe, 100 Anos de Freethought, p 84.

Anúncios

Um comentário em “O Cristianismo e sua Maldita Sedução pelo Poder

  1. valentim
    12/03/2013

    o que mais entristece, em todos estes crimes, é saber que a religião, consegue ser muito mais podre do que eu supunha…

    Curtir

Nesse blog, 100% dos comentários são publicados, portanto contribua com sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 29/01/2012 por em Política e Fé e marcado , , .

Visitas certificadas pelo Wordpress. Primeira postagem Agosto/2008

  • 945,116

Clique para assinar este blog e receber notificações de novos artigos por email

Junte-se a 598 outros seguidores

A fonte da aflição humana

Nós como humanidade, mesmo tendo consciência da existência de Deus, não o consideramos como a um Deus, nem lhe agradecemos por nada, antes, em nossos próprios raciocínios nos perdemos. Em virtude disso, nosso coração enlouqueceu e se perturbou. Nos tirando por sábios, nos tornamos loucos. E, como esnobamos a Deus, o criador nos entregou aos nossos próprios sentimentos perversos, para fazer-mós coisas ruins uns com os outros. É precisamente assim que chegamos exatamente onde estamos.

Novo Testamento/Livro de Romanos/Capítulo 1/Verso 21,22,28.

“O questionamento e a crítica deve ser incentivado. Só que criticar não é o mesmo que fazer troça ou debochar, que é o que via de regra algumas pessoas fazem. A crítica só é possível com debate, ao passo que o escárnio leva ao combate.”
Um ateu.

“A verdade deve ter prioridade sobre o amor e o amor sem a verdade é uma falsa unidade.”

“A esquizofrenia do movimento evangélico moderno alcançou o nível de epidemia, e tem se alastrado, contaminado, e posto em risco até as tradicionais igrejas evangélicas cristãs.”

Progospel site cristão americano.

"A corrupção da sociedade começa por uma falha em chamar as coisas, pelos seus nomes próprios."

“Por meio de apresentações dramatizadas, os pastores fazem com que as igrejas se assemelhem a teatros; transformam o culto em shows musicais e os sermões, em arengas políticas ou ensaios filosóficos. Na verdade eles transformam os servos de Deus em atores cujo objetivo é entreter os homens.”

Spurgeon (1834 - 1892), pregador inglês chamado de o príncipe dos pregadores.

“A fé manifestada por Cristo não tem paralelo humano, ela divide o mundo”.

A.W. Tozer (1897 - 1963) foi um pastor, pregador, escritor, editor americano.

“O verdadeiro cristianismo é apolítico. A tentativa de misturar o evangelho a política é uma heresia antiga.”

"A experiência provê a dolorosa prova de que as tradições religiosas da igreja, uma vez formuladas, são primeiramente tidas como úteis, depois consideradas necessárias, até finalmente serem transformadas em ídolos. Todos têm que se curvar diante delas ou haverá punição".

J.C. Ryle (1816 -1900), brilhante aluno de Oxford, foi o primeiro pastor anglicano de Liverpool .

“O amálgama da psicologia com a Bíblia causa impacto destruidor sobre a mensagem do evangelho”.

David Robertson, pastor da Igreja Livre da Escócia, em Dundee e autor do livro “As Cartas para Dawkins”.

Alguns líderes de denominações evangélicas não fazem parte do que se chama a ‘Noiva de Cristo’. Eles são líderes de uma Igreja que há muito tempo traiu o Mestre”.

Richard Wurmbrand (1909 - 2001) foi um pastor romeno fundador da missão Voz dos Mártires. Wurmbrand passou 14 anos em prisões comunistas por pregar o evangelho.

“Deus não despede ninguém vazio exceto aqueles que são cheios de si mesmos”.

D. L. Moody (1837-1899), evangelista Americano.

“Ninguém descobre a cura para doenças por amor a humanidade. Como tudo mais, a ciência é apenas mais uma ferramenta para produzir dinheiro e glória”.

"Se você quer ser popular, pregue a felicidade. Se você quer ser impopular, pregue a santidade."

Vance Havner (1901-1986) pastor americano.

“Nenhum homem acredita que a Bíblia quer dizer o que diz, ele está sempre convencido de que ela diz o que ele quer dizer”.

George Bernard Shaw (1856 -1950) foi um escritor irlandês dramaturgo e premio Nobel de literatura.

“É difícil ver como o cristianismo pode ter um efeito positivo na sociedade, se não pode transformar a sua própria casa”.

John F. MacArthur Jr. (1939) escritor e pastor da igreja Grace Community em Sun Valley, Califórnia.

“É possível falar de amor para com os homens de tal maneira que Deus sai de cena. É possível começar a justificar a sua vida unicamente na base do quão "bom" você é para os homens. E, gradualmente, a diferença entre um cristão e a falsa ética humanista desaparece. Não porque o humanismo tornou-se centrado em Deus, mas porque o cristão tornou-se o centro de tudo”.

John Piper (1946) pregador e autor, pastor da Igreja Batista Bethlehem em Minneapolis, Minnesota-E.U.A.

“O grande poder do pecado é que cega os homens para que eles não reconheçam seu verdadeiro [mal] caráter”.

Andrew Murray (1828 - 1917) escritor e pastor sul-africano.

“Um sermão é pobre e sem efeito quando não deixa o ouvinte descontente consigo mesmo, e nem com o pregador”.

George Whitefield (1714 -1770) pastor anglicano itinerante. Seu ministério teve enorme impacto sobre a ideologia americana. Conhecido como o "príncipe dos pregadores ao ar livre" foi o evangelista mais conhecido do século XVIII.

“A humanidade está adquirindo a tecnologia correta para as razões erradas”.

R. Buckminster Fuller(1895- 1983)filósofo americano, teórico de sistemas , arquiteto e inventor.

“Eu considero que os principais perigos que confrontarão a igreja do próximo século será a religião sem o Espírito Santo; cristianismo sem Cristo, perdão sem arrependimento; salvação sem regeneração; e céu sem inferno”.

William Booth (1829 - 1912), pregador metodista britânico, fundador do Exército da Salvação.

“A menos que você tenha um compromisso sólido com a verdade, a Bíblia não vai mudar a sua vida, ela só vai ser um mar de palavras”.

Winkie Pratney (nascido em 1944) é um evangelista neozelandês, comunicador da juventude, apologista cristão e escritor.

“Se um homem se guiasse hoje em dia rigorosamente pelos ensinamentos do Novo Testamento, ele seria considerado insano”.

Robert Green Ingersoll (1833 - 1899) foi um ativista social, orador, agnóstico e inimigo da bíblia. Eis um sujeito que embora não cresse na bíblia, demonstrou tê-la compreendido muito mais do que a maioria dos que se dizem “crentes” nela.

“O cientista Charles Darwin foi o criador da teoria da evolução que diz que o homem vem do macaco. Essa ideia amplamente aceita pela sociedade, define a vida como a luta entre o forte e o fraco, o que é chamado de darwinismo social. Darwin definiu que o mais poderoso militarmente, psicologicamente, politicamente e em termos de tecnologia será superior aos fracos e oprimidos, e vai governar e subjugá-los. Esta idéia dominou a ideologia de Hitler e Mussolini, e conservando as devidas proporções, é um resumo da história da humanidade”.

“Para estar bem com Deus, muitas vezes isso significa ter problemas com os homens”.

A. W. Tozer (1897-1963), foi um pastor protestante americano.

“Deus não tem netos”

“O grande problema com a maioria dos pastores é que simplesmente não levam a sério o discipulado. Para nosso espanto, eles se satisfazem apenas com a confissão das pessoas de que desejam entregar suas vidas à Cristo, sem se preocuparem se elas vão ou não viver isso de fato”.

“Ou a bíblia me fará evitar o pecado, ou o pecado me fará evitar a bíblia”.

Dwight Lyman Moody (1837-1899), foi um evangelista americano.

“Ao contrário do que a maioria dos crentes imagina, no reino de Deus não existe independência nem democracia. A liberdade que nos é oferecida, jamais teve ou terá o sentido que desejamos. Que fique bem claro, que a liberdade ofertada pela bíblia, é liberdade do pecado, jamais significou liberdade para fazer o que se quer”.

“A Bíblia está sendo testada como o ferro em uma bigorna, espancada por muitos martelos. A Bíblia prova concretamente que é a Palavra de Deus por sua previsão impar de eventos futuros, além de todas as chances possíveis de erro, e isso tudo pode ser comprovado pelos fatos registrados na história. Sim, ela tem se mantido precisa.”

"Deus proibiu Salomão de comprar cavalos no Egito. Porque ele desobedeceu, e até casou com mulheres egípcias, perdeu a fé e se tornou um idólatra, mesmo com toda a sabedoria que Deus lhe havia concedido. Por isso, que ninguém se considerando sábio e ungido, se coloque acima dos outros cristãos, pois os que assim se julgam, como fazem os modernos apóstolos e profetas, acabam caindo na apostasia".

Mary Schultze escritora evangélica brasileira

"Nada na história, serve para ensinar aos homens a possibilidade de viverem em paz. É o ensino oposto que dela se destaca e se faz acreditar".

Paul Ambroise Valery [1871-1945], poeta, ensaísta e crítico francês.

"A morte perde metade de suas armas quando negamos em primeiro lugar os prazeres e interesses da carne".

Richard Baxter (1615 - 1691) foi um Inglês puritano líder da igreja.

"As pessoas na igreja não estão se voltando para Cristo, porque elas não têm senso de pecador contra o Senhor. Elas não estão convencidas do pecado pessoal, porque elas não sabem o que é pecado. Elas não têm noção do pecado, porque a lei de Deus não está sendo pregada de verdade".

Walter Chantry(1938) é um pastor de uma igreja batista na Pennsylvania.

“Pela lei da justa compensação, o coração dos que brincam com assuntos religiosos será destruído pelo brilho excessivo da verdade em que tocarem. Os olhos serão cegados pela luz que contemplam”.

A.W.Tozer (1897 - 1963), pastor americano.

“O que a história conta não passa do longo sonho, do pesadelo espesso e confuso da humanidade”.

Arthur Schopenhauer (1788-1860), filósofo alemão.

“As pessoas dizem que a cruz de cristo prova o quanto o homem é valioso. Isso é mentira! A cruz prova o quanto os homens são depravados”.

Paul Washer (nascido em 1961),fundador da missão HeartCry.

“A pessoa santificada é a única satisfeita no mundo”.

William Gurnall ( 1617 - 1679) escritor cristão Inglês.

“A história é apenas uma série de crimes e desgraças”

Voltaire (1694 —1778), filósofo iluminista francês.

“Nenhum homem começa a ser bom enquanto não se considerar mau”.

Thomas Brooks (1608-1680), pregador Inglês.

“Quando os homens começam a se queixar mais de seus pecados do que de suas aflições, começa a surgir alguma esperança para eles”.

Matthew Henry (1662 - 1714), pastor presbiteriano.

“A primeira e pior de todas as fraudes é enganar-se a si mesmo. Depois disto, todo o pecado é fácil”.

Philip J. Bailey (1816 — 1902), foi um poeta inglês.

“Dizer ‘Esqueça a doutrina, vamos evangelizar, é tão ridículo quanto uma equipe de futebol que diz "Esqueça a bola, vamos continuar o jogo"

Peter Lewis, é pastor da Cornerstone Church em Nottingham, Inglaterra, e autor de vários livros.

“Nada do que é de Deus é obtido com dinheiro”

Tertuliano (160 - 220 dC) foi o primeiro autor cristão a produzir uma obra literária em latim. Ele também foi um notável apologista cristão e um polemista contra as heresias.

“Eu sou um fã do homem, eu sou um humanista”

O ator Al Pacino no personagem do diabo no filme, “O Advogado do Diabo”

“Atribuirei todas as aparentes incoerências da Bíblia à minha própria ignorância”

John Newton (1725 - 1807) foi um pastor Anglicano, autor de muitos hinos incluindo o afamado,”Amazing Grace”.

" Ao tentar-mós inaugurar um reino que não é deste mundo, utilizando as ferramentas que são deste mundo , isso é não cumprir a meta que supostamente estamos procurando alcançar”

Cal Thomas é um cristão americano colunista sindical

"Quem quer que controle a mídia, as imagens, controla a cultura"

Allen Ginsberg , (1926 – 1997) poeta americano.

“Quem quer que controle a cultura, controla a vida das pessoas porque o homem é 100% um produto cultural”

“Uma grande parte da minha família foi assassinada. Foi na minha própria casa que seu assassino foi convertido. Foi também o local mais adequado. Assim, em prisões comunistas a idéia de uma missão cristã para os comunistas nasceu”.

Richard Wurmbrand (1909 - 2001) foi um pastor romeno fundador da missão Voz dos Mártires, passou 14 anos em prisões comunistas por causa do evangelho

“O auto-esvaziamento prepara o transbordamento espiritual”

Richard Sibbes (1577-1635) Foi um teólogo inglês, exegeta bíblico, um representante da espinha dorsal da teologia puritana.

“O mais querido ídolo que conheço, seja ele qual for, ajuda-me Senhor, a derrubá-lo do teu trono, e a adorar somente a Ti”.

William Cowper (1731 - 1800) foi um poeta cristão inglês. Um dos mais populares poetas do seu tempo. De muitas maneiras, ele foi um dos precursores da poesia romântica .

“Uma fé que pode ser destruída pelo sofrimento [ou pelas dificuldades] não é a fé verdadeira”.

Richard Wurmbrand (1909 - 2001) foi um pastor romeno fundador da missão Voz dos Mártires, passou 14 anos em prisões comunistas por causa do evangelho .

"Beber cerveja é fácil, destruir seu quarto de hotel é fácil, mas ser cristão é uma tarefa difícil. É a rebelião!"

Alice Cooper, famoso cantor e compositor de hard rock.( Jornal "The Sunday Times")

“O cristianismo genuíno faz questão de desmentir o refrão segundo o qual não se deve permitir que a verdade e os fatos estraguem uma boa história”.

“A história da ciência, como a história de todas as idéias humanas, é uma história de sonhos irresponsáveis, de obstinação e de erro”.

Karl Popper (1902 - 1994) foi um filósofo austríaco premio Nobel. Ele é considerado um dos mais influentes filósofos da ciência do século 20.

“É mais fácil dar qualquer coisa que tenhamos do que dar-nos a nós mesmos”.

Jonh Blanchard(1932) é um pregador cristão.

“Nada que não seja decorrente do amor pessoal a Cristo e da comunhão com Ele pode ter algum valor. Podemos saber de cor as escrituras, pregar com eloqüência e fluência considerável, com uma fluidez que as pessoas podem facilmente até confundir com poder de Deus. Mas não devemos nos enganar, se nossos corações não beberem profundamente da fonte principal, se o que nos incentiva não é o amor de Cristo que brota de uma realidade prática, o resultado de tudo isso será algo fugaz, passageiro!”

Charles Henry Mackintosh (1820-1896) foi um pregador irlandês, expositor da Bíblia, e autor.

"A verdadeira vida do crente, ou seja, a vida de Cristo nele é uma vida que está sempre brotando da morte".

Evan H. Hopkins (1837 – 1918) escritor cristão inglês

"Deus está esperando para encher as nossas vidas com o que é incrível, se a gente aceitar a nossa falência."

Ian Thomas (1914 - 2007) foi um escritor cristão inglês e professor de teologia.

"Deus pode cumprir promessas mesmo quando parece que ele as tenha quebrado, pode encontrar soluções onde as tentativas humanas fracassaram. Faz mais do que podemos fazer quando parece que está fazendo menos do que prometeu. Às vezes abertamente, às vezes secretamente, mas sempre com segurança. Ele é tão bom quanto sua palavra”.

Sra. Cowman (1870 – 1960) cristã americana co-fundadora da Sociedade Missionária Oriental

"A fé é dificultada pelo sentido da visão e pelo absurdo da nossa confiança na evidência externa. Nesse contexto, a prova em si é o invisível. Todas as coisas ao ar livre portanto devem ser removidas antes que possamos realmente acreditar. Então, enquanto nós olhamos para as coisas invisíveis, que são reais ... Deus as tornará reais de uma forma concreta ".

A. B. Simpson (1843 – 1919) pregador evangélico canadense, teólogo, autor, e fundador da Aliança Cristã e Missionária.

“A Fé vê Aquele que ordena todas as circunstâncias que nos rodeiam, a esperança vê além do que os olhos podem ver, a paciência dá força para suportar as provações a aquele a quem as circunstâncias não podem afetar”.

"Você não pode descansar sobre a sua própria interpretação das coisas que acontecem em sua vida. Você só pode descansar no Senhor. Confie no Senhor Jesus em seu coração. Reconheça-o em todos os momentos, e Ele abrirá um caminho que você nunca esperou. Essa é a promessa Dele!”

John MacArthur , pastor americano.

“A fé não resolve os problemas, mas se volta para quem tudo é possível. A fé não aborda as circunstâncias, mas o Deus da circunstância”.

“A bíblia ensina a servir sem atrair a atenção e trabalhar sem ser visto. É o contrário do que a sociedade ensina, mas é isso ai!”

“Ah, que alegria é ter nada, ser nada e ver nada além de um Cristo vivo em glória e não se importar com nada além de seus interesses aqui na terra!”

John Nelson Darby (1800 - 1882) foi um evangelista irlandês, influente entre os Irmãos de Plymouth . Ele é considerado o pai do moderno Dispensacionalismo.

“Aprendi a ser cada vez mais insatisfeito com tudo que não vem de uma comunhão permanente, profunda, divinamente forjada e em total conformidade com o Senhor. Caprichos pessoais, o ódio, as meras opiniões, eu as temo. As controvérsias, evito. Sistemas de doutrina, teorias, escolas de pensamento, em suma, cada "ismo" eu considero inútil. Minha esperança, no entanto é aprender mais da gloriosa pessoa de Cristo, sua obra e sua glória. E então, viver por ela! Trabalhar, testemunhar, pregar e orar, fazer tudo através de Cristo, e através do trabalho da sua graça em meu coração!”

Charles Henry Mackintosh (1820-1896) foi um pregador irlandês, expositor da Bíblia, e autor.

“Igreja é um hospital para pecadores, não um museu para santos”

Abigail Van Buren, colunista judia americana

“Segundo as palavras de Cristo, aquele que não perdoa o outro, detona a ponte que ele mesmo terá que atravessar”

George Herbert, (1593 – 1633) foi um poeta, orador e sacerdote cristão anglo-galês.

“Nós devemos nos lembrar de que a fé só é fé quando não sentimos nada e não vimos nada”

Peter Marshal (1902 - 1949), pastor presbiteriano.

“Em cada um de nós existem três pessoas: a que nós achamos que somos; a que os outros pensam que somos; e a que Deus sabe que somos.”

Leonard Ravenhill (1907-1994) foi um evangelista e autor cristão

“Todo cristão genuíno é mais competente do que qualquer psicólogo no que diz respeito ao aconselhamento.

Jay E. Adams (nascido em 1929) é um cristão americano reformado conhecido por livros na área do aconselhamento.

"Nós vivemos atualmente em um mundo evangélico onde a teologia é invertebrada, a moralidade é de água-viva, uma religião gangorra, uma filosofia cambalhota que nos diz o que já sabemos em palavras, mas que não entendemos de fato".

Robert GLee

“A tolerância dos evangélicos tornou-se tão tolerante que o mal está incluído no que é tolerável. Nós estamos em perigo de nos tornar-mós "vacas morais” em nossa obesa comodidade”.

Um missionário da Índia

Sobre crentes que distorcem o sentido da misericórdia bíblica: "Essas são as pessoas que hoje, com uma “bondade” doentia, estão tolerando professores de erros em nossos púlpitos, porque simplesmente elas são extremamente educadas e desesperadamente “amáveis”. Elas preferem permitir que o erro seja pregado e almas sejam enganadas do que ferir os sentimentos desse tipo de pregador. Como nos dias de Elias, Baal deve ser adorado para que não haja uma seca! É melhor o câncer matar a sua vítima do que o cirurgião cruel usar o seu bisturi para extirpá-lo!”

J. Sidlow Baxter ( 1903 - 1999) foi um pastor e teólogo Autraliano

"Em alguns círculos evangélicos, o medo da controvérsia é tão grande que os pregadores e as congregações se contentam com a paz a qualquer custo, até mesmo ao custo da verdade de Deus. A idéia é que a ausência de conflito é o ideal maior. A paz é um ideal bíblico... mas é a pureza? A paz da igreja nunca poderá ser comprada ao preço da pureza da igreja. Esse preço é alto demais ".

Jay E. Adams (nascido em 1929) é um cristão americano reformado conhecido por livros na área do aconselhamento.

"A era pós-moderna é a era de nenhuma verdade, ou onde qualquer coisa pode ser verdade. Esse pensamento está influenciando a igreja de Cristo.

"A oração não se destina a informar algo a Deus, mas dar ao homem uma visão de sua miséria, para humilhar seu coração, para excitar o seu desejo, para inflamar a sua fé, para animar a sua esperança, para elevar sua alma da terra ao céu."

Adam Clarke (1760 - 1832) foi um erudito teólogo britânico metodista.

“A maior parte do cristianismo evangélico é fundamentado em clichês. A maior parte do nosso cristianismo vem de músicos que se dizem cristãos e não da bíblia. A maior parte do que os evangélicos acreditam é ditado pela cultura secular e não pela bíblia”.

Paul Washer é pregador e diretor da Sociedade Missionária HeartCry

“A apostasia que a Bíblia nos advertiu que seria evidente nos últimos dias já está em pleno andamento. Somente aqueles que se mantiverem firmes com a Palavra de Deus serão protegidos e salvos. Este remanescente de crentes fiéis será visto como um antiquado reduto de mentalidades estreitas”

Roger Oakland Missionário da “Understand The Times”

“A fé da moderna igreja evangélica possui 100 quilômetros de largura por 1 centímetro de profundidade”

“Não perguntamos: ‘Cristo é seu Salvador', mas: ‘É ele, real e verdadeiramente seu Senhor?' Se Ele não for seu Senhor, então, com a mais absoluta certeza, ele não é seu Salvador”.

A.W. Pink(1886 - 1952) foi um evangelista cristão inglês.

“Quem vende propostas de baixo risco são comerciantes de mercadorias falsificadas. É exatamente isso que as igrejas modernas estão oferecendo”

"É impossível alguém se arrepender [segundo os padrões de Cristo] sem ter uma profunda decepção consigo mesmo"

A.W. Tozer (1897 - 1963) foi um pastor, pregador, escritor, editor americano.

"A simples aceitação de um ensinamento verdadeiro sobre a pessoa de Cristo, sem o coração ter sido ganho por Ele, e a vida ter sido devotada a Ele, é apenas mais outra etapa deste caminho "que ao homem parece direito", mas que cujo fim "são caminhos da morte".

A.W. Pink (1886 - 1952) foi um evangelista cristão inglês.

“ Nos dias de hoje, desconfie de qualquer “Best-seller”. Desconfie de qualquer um que for um furacão de vendas simplesmente porque a genuína verdade cristã jamais foi digerida pelas massas. A prova é que mataram o seu autor. Se caiu no gosto da maioria é falso. Lembre-se, Jesus se referiu aos seus verdadeiros seguidores como “pequenino rebanho”.

“Tu, ó Deus, bem conheces a minha ignorância; e os meus pecados não te são encobertos”.

Salmos 69:5

“A convicção de ignorância é a porta de entrada do templo da sabedoria.”

C. H. Spurgeon (1834 - 1892), pregador inglês chamado de o príncipe dos ´regadores .

“Agora, pois, eu, rei Nabucodonosor, louvo, exalto e glorifico ao Rei do céu; porque todas as suas obras são verdade, e os seus caminhos juízo, e pode humilhar aos que andam orgulhosamente”.

Daniel 4:37

“Alguns poucos crentes se protegem com Deus, mas a maioria se protege de Deus”.

“Não ajuntem riquesa na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam”.

Mateus 6:19

“Deus deliberadamente escolheu valer-se de idéias que o mundo considera absurdas e desprezíveis para envergonhar aqueles indivíduos que o mundo considera sábios e importantes”

1 Corintios 1:27

"A menos que um homem seja posto no nível de sua miséria e culpa, toda nossa pregação é vã. Somente um coração contrito pode receber um [o verdadeiro] Cristo crucificado".

Robert Murray McCheyne (1813 - 1843), foi um ministro da Igreja da Escócia

"Disse Jesus: Se vocês fossem cegos, não teriam culpa de nada", respondeu Jesus. "Mas a culpa de vocês permanece porque vocês afirmam que sabem o que estão fazendo".

João 9:41

"Muitos concordam que Cristo deva ser alguma coisa, mas poucos admitem que Cristo deve ser tudo."

Stuart Alexander Moody (1809 – 1898) missionário e pastor escocês.

"A natureza da salvação de Cristo é deploravelmente deturpada pelo evangelista de hoje. Eles anunciam um Salvador do inferno ao invés de um Salvador do pecado. E é por isso que muitos são fatalmente enganados, pois há multidões que desejam escapar do Lago de fogo que não têm nenhum desejo de ficarem livres de sua carnalidade e mundanismo ".

A.W. Pink (1886 - 1952) foi um evangelista cristão inglês.

“O temor do Senhor é o caminho para a sabedoria; os alienados desprezam essa sabedoria”.
Provérbios 1:7

“A palavra de Deus esta acima da igreja de Deus”.

Thomas Cranmer (1489 - 1556) foi uma importante figura da Reforma Protestante na Inglaterra e um dos primeiros mártires queimado em 1556 por heresia pela Igreja católica romana.

“Se dissemos que temos comunhão com Deus e andamos em trevas, estamos mentindo”.
I João 1:6

“É bom desmascarar os nossos pecados, para que eles não nos desmascarem”.

Thomas Watson (1620-1686), pregador e autor Inglês puritano

“Feliz o homem que não anda de acordo com a opinião das pessoas desligadas de Deus”.
Salmos 1:1

“A apostasia é uma perversão que conduz ao mal, depois de uma aparente conversão”.

Timoty Cruso (1656 -1697), pregador inglês puritano.

“Jesus estava no mundo, e o mundo foi feito por Ele, no entanto o mundo não quis conhecê-lo”.

Evangelho de João 1:10

“Quando procuramos honras, desviamo-nos de Jesus”.

Hugh Victor (1078 - 1141), escritor, filósofo, professor, um dos mais influentes teólogos do século XII.

"Pobre de quem considera a si mesmo sábio, e se tem como uma pessoa inteligente e sensata!"

Isaias 5:21

"O homem está naturalmente disposto a coroar qualquer coisa, menos Cristo".

Thomas Brooks (1608-1680), pregador Inglês.

“Deus irá julgar os segredos de todos os homens”.

Romanos 2:16

“Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias”.

Martinho Lutero (1483 - 1546) foi um monge agostiniano alemão, teólogo, professor universitário que após converter-se a Cristo desencadeou a reforma protestante.

“Paulo e Barnabé confirmavam os ânimos dos novos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, e explicando que há que se suportar muitos sofrimentos até entrar no reino dos céus”.

Atos 14:22

“O começo da ansiedade é o fim da fé”.

George Müller (1805 - 1898), evangelista e diretor de obra missionária com orfanatos em Bristol , Inglaterra.

“Disse Jesus: Que a palavra de vocês se limite a sim ou não. O que passar disso é de procedência maligna”.

Mateus 5:37

“Qual é a vontade de Deus para a sua vida? Por que Deus deveria lhe dar mais algum conselho, quando você não está prestando atenção à direção que Ele já deu?”

O Dr. Schultz é Diretor do Departamento de História da Liberty University, ensina História da Igreja no Christ College, é também pastor da Westminster Reformed Presbyterian Church em Lynchburg, Virginia, E.U.A.

“Feliz o homem que põe no Senhor a sua confiança, e que não respeita os orgulhosos nem os que se desviam para a mentira”.

Salmos 40:4

“A pesquisa científica é uma atividade humana como outra qualquer, sujeita a vaidades, fraudes, disputas, etc. A ciência passa uma imagem de neutralidade e objetividade que é falsa”.

Peter Schulz, físico formado pela UNICAMP

“O Senhor olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus. Desviaram-se todos e juntamente se fizeram imundos: não há quem faça o bem [de si mesmo], não há sequer um”.

Salmos 14:2,3

“Quando Lutero desencadeou a Reforma, mudou o eixo de autoridade em matéria de religião: tirou-a do Magistério da Igreja e passou-a para a Escritura. Desde Lutero esta é a postura protestante evangélica: a Bíblia é normativa. O movimento pentecostal deslocou novamente o eixo da autoridade: tirou-o da Escritura e colocou-o no indivíduo. Uma situação pior que a pré-Reforma. No catolicismo, a autoridade é também objetiva, como entre protestantes evangélicos. No pentecostalismo, é subjetiva: "o Senhor me falou", "o Senhor me revelou", "Deus me disse", etc. Parte do caos doutrinário hoje se deve ao abandono da Bíblia como fonte de doutrina e de edificação, que passou a ser a experiência. Usa-se a Bíblia para referendar as doutrinas produzidas pela experiência pessoal”.

Isaltino Gomes, é escritor bacharel em teologia e filosofia

“Maldito o homem que confia no homem, que se socorre na capacidade humana, e aparta o seu coração do Senhor!”

Jeremias 17:5

"E não havia espaço para Jesus na estalagem. Ele ficou um pouco mais velho e não havia espaço para Ele em sua família, por isso não creram nEle. Ele foi ao templo e o templo ficou contra ele. E quando Ele morreu não havia espaço para enterrá-lo e Ele morreu fora da cidade. Pois bem por que, em nome de Deus, você espera ser aceito em toda parte? Como é que o mundo não pôde suportar o Homem mais santo que já viveu e pode suportar a você e a mim? Será que nossa fé está comprometida? Será que estamos comprometidos? Será que não temos estatura espiritual? Por que será que nossa retidão não incomoda a corrupção do mundo, como aconteceu com Cristo?“

Leonard Ravenhil(1907- 1994) evangelista e autor cristão

“ Timóteo tenha horror aos clamores vãos da falsamente chamada ciência, a qual, professando-a alguns, se desviaram da fé”.

I Timóteo 6:20,21

“Testemunhar é colocar Jesus em destaque e não o nosso estilo ou nossas preferências”

Rubinho, no livro “Guia de Sobrevivência do Cristão”.

“Porque chegará uma época [na igreja] quando as pessoas não ouvirão a verdade, mas andarão de um lado para outro procurando mestres que lhes digam apenas aquilo que desejam ouvir. Não ouvirão aquilo que a Bíblia diz, mas seguirão alegremente suas próprias idéias desorientadas”.

II Timóteo 4:3,4

“Quando Deus fala, permanecer apático é uma prova de ateísmo prático”.

Joyce Baldwin foi autor do comentário do Antigo Testamento série Tyndale. Faleceu em 1996.

“Se alguém ensina alguma coisa que não se encaixa com as palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, é orgulhoso, e nada sabe, mas delira acerca de questões e se confunde com as palavras. Essa confusão é causada por homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, imaginando que a fé seja um meio de se obter lucro; aparta-te dos tais”.

I Timóteo 6:3,4,5

“Alimentar os pobres é uma preocupação válida e necessária e somos abençoados quando ajudamos os que precisam. Mas o problema com o assim chamado “Evangelho Social”, em oposição ao Evangelho que salva, é que o primeiro preocupa-se com aquilo que é temporário. O Evangelho que salva enfatiza aquilo que é eterno. Algumas pessoas só estão interessadas em melhorar este mundo, sem se preocupar com a possibilidade da perdição eterna. Nossa meta principal é que os perdidos sejam salvos. Eles precisam mais do que alimento e sabão. Eles precisam de salvação”.

Adrian Rogers em, Creia em Milagres, mas Confie em Jesus/ Revista Eclésia

“Não procuramos enganar as pessoas para que creiam, não estamos interessados em fazer trapaça com ninguém. Nunca procuramos fazer com que alguém creia que a Bíblia ensina o que ela não ensina. Nós nos abstemos de todos esses métodos vergonhosos”.

II Coríntios 4:2

“Se um homem tratar de pôr a fé de Cristo junto com a opinião humana, ou trata de provar que os seus ensinos estão em harmonia com a filosofia em voga, ao procurar defender a Cristo na realidade ele o está rejeitando”.

A. W. Tozer (1897-1963), pastor e escritor americano.

“Disse Jesus: Eu vim para o mundo para dar vista àqueles que são cegos , e para certificar, àqueles que pensam que vêem, que eles são cegos".

João 9:39

“O inferno é a eterna prisão dos loucos, da alma religiosa iludida, que teve a alucinação de que poderia chegar ao céu por moralidade, boas obras, membresia de igreja, batismo, santa ceia, louvores, orações, dízimos e ofertas, qualquer caminho, mas que rejeitaram a Cristo com certeza, por um simples fato: 'Eu sou o caminho, a verdade, e a vida: ninguém vem ao Pai, senão por mim"(João 14:6)”.

Fred Barlow(1921-1983) evangelista batista americano.

“Porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice”.

Genesis 8:21

"O sucesso de um falsificador de moedas depende quão parecida à moeda falsa se torna com a genuína. A heresia não é uma negação completa da verdade, e sim uma diluição da verdade".

A.W. Pink (1886 - 1952), evangelista inglês.

"Hoje temos o espantoso espetáculo de milhões a ser derramado na tarefa de proporcionar irreligioso entretenimento terreno aos chamados filhos do céu. Entretenimento religioso é, em muitos lugares rápido meio de se esvaziar as sérias coisas de Deus. Muitas igrejas nestes dias tornaram-se pouco mais do que pobres teatros de quinta categoria onde se "produz" e mercadeja falsos “espetáculos” com a plena aprovação dos líderes evangélicos, que podem até mesmo citar um texto sagrado em defesa de suas delinqüências. E dificilmente um homem se atreve a levantar a voz contra isso. "

A.W. Tozer no livro,”A Raiz dos Justos”.

“Disse Jesus: A aprovação ou não de vocês na vale nada para Mim”.

João 5:41

“O Liberalismo se define como a forma ao mesmo tempo racional e intuitiva de interpretar a vida em que prevalece a vontade da maioria, e que está livre de qualquer fundamento filosófico ou religioso capaz de limitar ou impedir a liberdade individual e a igualdade de direitos. Partindo de sua definição, compreendemos que o Liberalismo Teológico Cristão defendido pelas igrejas de vanguarda e emergentes constitui-se uma fraude religiosa por se colocar na contra-mão do raciocínio bíblico”.

“Deus despreza as orações de quem não o obedece”
Provérbios 28.9

“Você sabia que 80 á 90% das pessoas que “aceitam a Cristo” em trabalhos evangelísticos se “desviam” depois? O motivo de tudo isso tem sido esse evangelho centrado no homem que é pregado nos púlpitos, nas TVs e nas casas, onde o bem-estar e a prosperidade tem se tornado “mais valiosos” que o próprio sangue de Cristo. A graça já não basta mais (apesar dos louvores e acharmos Cristo tão meigo). O que nós realmente queremos é “o segredo” para sermos bem-sucedidos. Desejamos “uma vida com propósitos” para taparmos com peneira o vazio que sentimos. O Vazio de um espírito morto que somente Deus pode ressuscitar. Ansiamos por “o melhor da nossa vida hoje” no lugar de tomarmos a nossa cruz e de negarmos a nós mesmos. Queremos conhecer “as leis da prosperidade” mais do que o Espírito de Santidade; e, para nos justificarmos, tentamos ser pessoas auto-motivadas e de alta performance, antes de sermos cristãos cuja alegria está em primeiro lugar Nele; e santos bem aceitos pelo mundo a despeito das Palavras de Jesus contrariar esse posicionamento”.

Paul Washer, Diretor da Sociedade Missionária HeartCry

“O que confia no seu próprio coração é um insensato”.

Provérbios 28:26

“A nova espiritualidade emergente não fala sobre o custo de ser um verdadeiro crente. Ela fala sobre a unidade a todo custo, mas não a verdade a todo custo”

Lighthouse Trails

“Os modernos “Líderes Evangélicos” procuram encher suas igrejas de analfabetos bíblicos, convencendo-os que eles irão para o céu, simplesmente porque levantaram a mão, como sinal de aceitação de Jesus como Salvador, e que Ele vai lhes dar o sucesso familiar, social e financeiro, se forem dizimistas fiéis; [o que se constitui uma propaganda enganosa]”.

Mary Schultze

“A teoria científica será sempre conjectural e provisória. Não é possível confirmar a veracidade de uma teoria pela simples constatação de que os resultados de uma previsão efectuada com base naquela teoria se verificaram. Essa teoria deverá gozar apenas do estatuto de uma teoria não (ou ainda não) contrariada pelos fatos”.

Karl Popper (1902 — 1994) filósofo da ciência considerado por muitos como o filósofo mais influente do século XX a tematizar a ciência.

“O desejo dos cristãos modernos é deletar o pecado mas não de suas vidas, e sim da teologia cristã”.

“Deixem de enganar-se a si mesmos. Se você pensa que tem sabedoria, conforme avaliação pelos padrões deste mundo, faria melhor se pusesse tudo de lado e se tornasse um tolo. A sabedoria deste mundo é loucura para Deus”.
I Coríntios 3:18,19

"A Bíblia ensina a nos contentarmos com o que temos, mas nunca com o que somos".

Dr. John Blanchard é pregador, professor e escritor cristão.

“Os crentes modernos não acreditam na infabilidade da Bíblia porque ela se contradiz, mas sim porque ela os contradiz”.

“O Problema conosco hoje é que procuramos construir uma ponte sobre o abismo que há entre duas coisas opostas, o mundo e a igreja, realizando assim um casamento ilícito para o qual não há autorização bíblica”.

A. W. Tozer (1897-1963) Pastor americano

"A verdadeira satisfação vem de Deus e é gratuita, no entanto muita gente está disposta a pagar um alto preço pela sua falsificação!"

"Aquilo que governa o coração, forma a arte"

Wolfgang H. M. Stefani, citado no livro, "O Cristão e a Música Rock".

"O pecado é morte com aparência de vida".

Autor desconhecido

“A história é a Ciência da infelicidade dos homens”

Anônimo

"Não é o que você deseja fazer, mas o que você faz para Deus que transforma a sua vida."

Henrietta C. Mears, autora de Estudo panorâmico da Bíblia

“A primeira geração de cristãos pós-modernos já está aí. São crentes que pouco ou nada sabem da Palavra de Deus e demonstram pouco ou nenhum interesse em conhecê-la. Cultivam uma espiritualidade verticalista, com nenhuma consciência missionária. Consideram tudo muito “normal” e não vêem nenhuma relevância na cruz de Cristo. Acham que a radicalidade da fé bíblica é uma forma de fanatismo religioso e não demonstram nenhuma preocupação em lutar pelo que crêem”

Ricardo Barbosa de Souza no livro, “A Pós Modernidade e a Singularidade de Cristo”.

“Temos vivido uma nova forma de fundamentalismo[cego], a da “Democracia Liberal”, que impede que expressemos nossos valores cristãos e nossa crença numa Verdade Absoluta, pois assim ferimos aqueles que não concordam com eles”.

James Houston, erudito escritor e professor cristão.

“E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente”. Genesis 6:5

“Os líderes da “Igreja Emergente” não aceitam a divina inspiração da Bíblia nem sua inerrância. È simples, se não posso confiar em algo nela por não corresponder a realidade, quem vai dizer em que parte posso confiar ? Pela lógica todo o resto se torna inútil”.

"A ciência é notoriamente conhecida por ser muito científica na sua destruição do conhecimento científico que produziu anteriormente”.
Charles Spurgeon

“Jesus está sendo criminosamente vendido no mundo, a grosso e a retalho, por todos os preços, em todos os padrões amoedados. E os novos negociadores de Cristo não se enforcam depois de vendê-lO.”

Humberto de Campos ( 1886 — 1934) foi um jornalista, político e escritor brasileiro.

"A falha do evangelismo atual reside na sua abordagem humanista. Trata-se de um esforço para ser supernatural, mas nunca se é o bastante. Esse evangelho é francamente fascinado com o grande, barulhento, e agressivo mundo com seus grandes nomes, o seu culto as celebridades, a sua riqueza e sua pompa berrante. Para os milhões de pessoas que estão sempre, ano após ano, desejando a glória mundana, mas nunca conseguiram atingi-la, o moderno evangelho oferece rápido e fácil atalho para o desejo de seus corações. Paz de espírito, felicidade, prosperidade, aceitação social, publicidade, sucesso nos negócios, tudo isso na terra e finalmente, o céu. Certamente nenhuma companhia de seguros pode oferecer algo parecido com isso”.
A. W. Tozer

“Os pensadores “cristãos” da atualidade confundem cultura secular com erudição bíblica, como se Deus preferisse os eruditos para a pregação do Evangelho do Seu Filho, em vez de escolher as pessoas mais simples e despretensiosas, conforme lemos em 1° Coríntios 3:18-20”

Dr. Ronald Cooke erudito escritor cristão

“Antes que possa haver uma vida cristã próspera, nobre, resistente ao mundo, firme na tentação, inabalável nas provações, cheia de bons frutos, deve haver uma estreita união com Deus em secreto”.
Paul E. Billheimer

"Uma pessoa pode ir a igreja duas vezes por dia, participar da ceia do Senhor, orar em particular o maximo que puder, assistir a todos os cultos e ouvir muitos sermões, ler todos os livros que existem sobre Cristo. Mas ainda assim tem que nascer de novo".

Jonh Wesley (1703 – 1791) pastor e teólogo inglês fundador da igreja metodista.

“A maioria das pessoas preocupam-se com passagens da Bíblia que não entendem, mas as passagens que me preocupam são justamente as que eu entendo”.

Mark Twain (1835-1910) foi um escritor, humorista e romancista norte americano. Twain foi a celebridade mais conhecida de sua época.

"Esta nova era da pós-verdade tem sido abraçada por todos que dão boas vindas à falência do Cristianismo tradicional. Seus “modelos de mudança” têm abandonado as “fronteiras formais” da verdade divina para explorar a visionária direção do homem, tentando unir Deus à estrada larga".

Tamara Hertzel em seu livro, “In the Name of Purpose: “Sacrificing Truth on The Altar of Unity”,

"Jamais coloque um ponto de interrogação na frase em que Deus colocou um ponto final".

Provérbio evangélico americano

“Fé é o poder de colocar o eu de lado para que Deus possa atuar sem impedimentos”.

F.B. Meyer (1847 – 1929) pastor, autor, professor e evangelista inglês.

"Há muitos vagabundos religiosos no mundo que não querem estar amarrados a coisa alguma. Eles transformaram a graça de Deus em libertinagem pessoal e muitas vezes coletiva".

Adaptação da fala de A. W. Tozer

"Quando um homem fica rodeado de hereges, ele perde a capacidade de discernir entre o que é falso e o que é verdadeiro e o seu ministério se transforma em ministério de confusão... "

Dr. Ronald Cooke é um erudito escritor cristão

"Quando a tolerância é valorizada acima da verdade, a verdade sempre sai no prejuízo".

John MacArthur Jr, é um pastor e escritor evangélico americano.

"Disse Jesus: O mundo amaria a vocês, se fossem dele; como não são, pois eu escolhi vocês para saírem do mundo; por isso é que são odiados pelo mundo". João 15:19

"Nunca ouça um homem que não ouve a Deus".

A. W. Tozer (1897-1963), pastor americano

"Se amarem suas vidas aqui embaixo, vocês perderão a vida real. Se desprezarem suas vidas aqui embaixo, vocês trocarão esta vida pela glória eterna".

João 12:25

"A verdadeira Igreja prega REGENERAÇÃO da alma; não reforma, não educação, não a legislação, mas regeneração".
MR DeHaan, (1891-1965) foi um professor da Bíblia, pastor, escritor e médico americano.

"Eu sei com certeza que depois que eu for, falsos mestres, como lobos ferozes, aparecerão no meio da igreja e não terão pena do rebanho". Alguns de vocês mesmos torcerão a verdade para conseguir seguidores".

Atos 20:29,30

Quanto mais desviado se torna um pastor, mais ele se volta para o evangelho de entretenimento e "novas obras" para trazer as multidões. E confia em números e nas finanças para julgar o próprio sucesso. Mas inexiste um testemunho acompanhando essas obras, porque elas são de um outro evangelho, um outro Jesus!

David Wilkerson, pastor americano criador das casas de recuperação

“Deus, em sua sabedoria, providenciou para que o mundo nunca o encontrasse através da inteligência humana. E então, Ele se manifestou e salvou todos quantos creram em sua mensagem, essa mesma que o mundo considera absurda e ridícula”.

I Coríntios 1:21

“Eu costumava pensar que as dádivas de Deus estavam em prateleiras uma acima da outra, e que, quanto mais alto crescíamos em nosso caráter cristão, mais fácil podíamos alcançá-las. Eu agora penso diferente. Creio que as dádivas estão em prateleiras, uma debaixo da outra. Não se trata de subir o mais alto, e sim, de descer o mais baixo. Quanto mais nos humilhamos diante do Senhor, melhores dádivas receberemos."

F.B. Meyer (1847 – 1929) pastor, autor, professor e evangelista inglês.

"Considero cristão de fato aquele que não se envergonha do evangelho nem é uma vergonha para ele".

Matthew Henry (1662 – 1714), pastor presbiteriano, autor de famoso comentário bíblico.

“Muitas pessoas tem considerado a fé cristã como algo fácil. Elas pensam assim porque nunca a experimentaram”.

Martinho Lutero

A verdade [bíblica] faz-nos temer somente ao nosso Deus, deixando de temer as críticas dos homens e fazendo-nos perder qualquer interesse nos seus aplausos.

Dave Hunt, escritor e pesquisador cristão.

“O amor separado da verdade não é nada mais que sentimentalismo hipócrita. Esse sentimento está se proliferando entre os evangélicos de hoje”.

John MacArthur, escritor e ministro da igreja Grace Community Church em Sun Valley, Califórnia.

“O erro gera o erro, a heresia gera a heresia, e sempre em nome da verdade, sempre em nome do evangelho”.
Walter Martin, fundador do Christian Research Institute

A maioria dos crentes não acredita que a Bíblia diz o que está escrito: acreditam que ela diz o que eles querem ouvir.

“Nós somos pagãos por natureza. Ou nossa religião nos transforma, ou iremos transformar nossa religião para corresponder às nossas simpatias”.

Michael Scott Horton é professor de Teologia e Apologética no Seminário de Westminster Califórnia.

Os tesouros no céu são recebidos somente na proporção em que são renunciados os tesouros da terra.
Anônimo

Assim como a desesperança do pecador de receber qualquer ajuda de si mesmo é o
primeiro requisito para uma conversão real, também a perda de toda confiança em si mesmo é o principal fator para o crescimento do crente na graça.
A. W. Pink (1886 - 1952) foi um pastor e evangelista inglês, profundo estudioso da Bíblia.

Argumentar com base na misericórdia para justificar o pecado pessoal é a lógica do diabo.

James Janeway (1636 - 1674) ministro e autor puritano que viveu após John Bunyan.

"Fé é quando Deus diz algo e eu digo o mesmo".

F. B. Meyer (1847 – 1929) pastor, autor, professor e evangelista inglês.

"A bíblia é uma janela na prisão deste mundo, através da qual podemos olhar para a eternidade.
Timothy Dwight (1752 - 1817) autor, pregador e teólogo, reitor da universidade Yale.

“Disse Jesus: Não me admiro que vocês não possam acreditar [no que Eu falo]! Porque vocês alegremente se aprovam uns aos outros, mas não se importam com a aprovação que vem do único Deus!” João 5:44

"Para a maioria dos crentes Deus é uma possibilidade, não uma realidade."

" Fé real invariavelmente produz santidade de coração e retidão de vida, fé falsa não se preocupa com isso”.

“Ninguém mergulha tão profundamente no inferno como aqueles que chegaram mais perto do céu, visto que caem de maiores alturas”.

William Gurnall (1617 - 1679), magnífico autor cristão Inglês

“Para alguns de nós, a maior habilidade parece ser a de afastar-se do Bom Pastor”.

Geoffrey King, teólogo inglês do século 16 um dos revisores da bíblia King James

"O homem precisa ser salvo de sua sabedoria própria, bem como de sua justiça própria porque o resultado do ajuntamento das duas, é uma e a mesma corrupção.”

William Law (1686-1761) pregador inglês.

“Disse-lhes Jesus: Porque o que entre os homens é nobre, para Deus é um absurdo”. Lucas 16:15

“Preparem-se para se tornarem cada vez mais fracos; preparem-se para mergulhar a níveis cada vez mais baixos de auto-estima;preparem-se para a auto-aniquilação e orem para que Deus apresse este processo”.

C. H. Spurgeon (1834-1892) Pastor Inglês, chamado de o príncipe dos pregadores.

“O mundo exige de nossa parte uma conformidade que afirme seus valores, não os valores de Deus. O mundo quer aprovação, não verdades.”

"Disse Jesus: Nem todos os que falam como gente de fé são realmente assim. Tais pessoas podem referir-se a Mim como Senhor, porém apesar disso não entrarão no céu. Porque a questão decisiva é se elas obedecem ao meu Pai do céu ou não". Mateus 7:21

“Ao concentrar-se em mim mesmo só vejo a minha condição de nudez e miséria.
Ao concentrar-se em Deus vejo somente conforto e segurança!”
C.H. Mackintosh (1820- 1896) pregador irlandês

"“A igreja que é dirigida por homens em vez de ser comandada por Deus está condenada ao fracasso espiritual embora se expanda nesse mundo. O ministério que se fundamenta em ensinos de seminários e não está cheio do Espírito Santo, não opera milagres verdadeiros, só falsos.”

Adaptado de Samuel Chadwick (1840 – 1932) pastor metodista

"A cruz de Cristo me constrange a tornar-me um santo."

“Amar Jesus encontra sua expressão mais compreensiva na obediência aos mandamentos de Jesus. Uma cristandade satisfeita com menos pode ser conveniente, mas é barato demais para ser verdadeiro.”

“O homem verdadeiramente sábio é aquele que sempre crê na Bíblia contra a opinião de qualquer outro homem. “

R. A. Torrey (1856-1928) evangelista, pastor, educador e escritor norte-americano.

"Quando o “eu” não é negado, ele é necessariamente adorado."

Se o seu cristianismo é confortável, está comprometido.
John Blanchard (1932) missionário e autor cristão.

Se não tornarmos clara nossa posição, com palavras e obras em favor da verdade e contra as falsas doutrinas, estaremos edificando um muro entre a próxima geração e o evangelho.

Francis Schaeffer (1912 - 1984) teólogo, filósofo e pastor presbiteriano.

"Contornar a Palavra de Deus e chamar os nossos desejos de direção divina, isso leva apenas a multiplicação do pecado."

Rev. Rousas John Rushdoony (1916 – 2001) Filósofo, historiador e teólogo presbiteriano.

"A igreja de Cristo é uma instituição divina, mas temos o poder de reduzi-la a algo terreno, fazer dela uma organização humana."

T. Austin Sparks ( 1910-1971) Pastor escocês.

“A Igreja costumava ser um barco resgatando os que perecem. Agora, ela é um cruzeiro recrutando pessoas promissoras.”

Leonard Ravenhil (1907- 1994) evangelista e autor cristão

"Um espírito demoníaco que induz a atividade religiosa favorita, está fazendo as pessoas sentirem-se espirituais e isso ocorre pela incompreensão da Palavra de Deus."

Max D. Younce pastor da Igreja Bíblica do Património em Ohio, E.U.A

"Muitos crentes querem servir a Deus... Mas apenas como Seus conselheiros."

Provérbio evangélico americano

"Cada dúvida no coração de um cristão é uma afronta á Palavra de Deus e ao sacrifício de Cristo."

A "quase verdade" é muito mais perigosa que a própria mentira.
Fred Barlow(1921–1983)pregador e autor batista

Se você crê somente no que gosta no evangelho e rejeita o que não gosta, não é no evangelho que você crê, mas sim, em você mesmo.
Agostinho (354 – 430).

“Nós como igreja, achamo-nos tão impregnados de uma filosofia anticristã, isto é, da idéia de que nosso alvo na vida consiste em obter uma infinidade de bens materiais, de ter status e gozar os prazeres do sexo, e não de viver os preceitos do Sermão do Monte, que o cristianismo praticado hoje, na verdade não passa de uma apostasia, pois se curvou diante do espírito desta época”.
Carl F. Henry (1913 - 2003) teólogo e intelectual cristão, o primeiro editor-chefe da revista "Christianity Today”.

Os homens estão mortos para Deus por estarem vivendo para o ego. Amor próprio, auto-estima, auto-satisfação são a essência e a vida do orgulho; e o Diabo, o pai do orgulho, nunca está ausente de tais paixões, nem deixa de ter influência nelas. Sem a morte para o ego não há escape do poder de Satanás sobre nós...
William Law, ( 1686-1761) pregador inglês.

" Você nunca saberá que Deus é tudo o que você precisa até que Ele seja tudo o que você tiver."

"No início a igreja era um grupo de homens centrados no Cristo vivo. Então, a igreja chegou à Grécia e tornou-se uma filosofia. Depois, chegou à Roma e tornou-se uma instituição. Em seguida à Europa e tornou-se uma cultura. E finalmente chegou à América e tornou-se um negócio."
Richard C. Halverson (1916-1995) pastor americano.

Deus cria a partir do nada. Portanto, enquanto o homem não se esvaziar e se reduzir a nada, Deus não poderá fazer nada com ele.
Martinho Lutero (1483 – 1546) teólogo

Muito do conhecimento de um homem pode ser uma tocha que ilumina seu caminho para o inferno.
Thomas Watson (1620-1686) pregador inglês

Há grande diferença entre negar coisas a si mesmo e negar-se a si mesmo.
Adrian Rogers, pastor americano (1931 – 2005)

Estamos vendo surgir uma “nova” igreja com um novo “credo” e um falso cristo."

“Ai de vocês que transformam a casa de Deus em comércio. Vendem seus CDs, vendem seus falsos milagres, vendem suas falsas unções, vendem falsas promessas de prosperidade, enquanto na verdade só vocês têm prosperado. Como escaparão do juízo que há de vir?”

Paul Washer é Diretor da Sociedade Missionária HeartCry

"Quando há algo na Bíblia que as igrejas não gostam, elas o chamam de ‘legalismo’. Se Jesus tivesse pregado a mesma mensagem que os ministros de hoje pregam, Ele nunca teria sido crucificado."

Leonard Ravenhil, (1907-1994) foi um evangelista e autor cristão

Não deixe de ler esse livro! Para comprar click na imagem.

Organizações Missionárias

Blogs que sigo

%d blogueiros gostam disto: