O Mundo Comprova o que a Bíblia diz: “Todo Homem é Um Mentiroso Inveterado”


Quem diz que nunca mente é mentiroso. A mentira faz parte do cotidiano de forma intensa. Prova disso é que algumas pesquisas apontam que uma pessoa normal mente, em média, três vezes a cada dez minutos. Não dizer a verdade pode ter conseqüências graves, mas nem sempre a mentira é maléfica. Na sociedade atual, ela geralmente é utilizada como um recurso de sobrevivência.

“Existem diversas razões para que a mentira aconteça. Porém, na sociedade, as pessoas mentem por necessidade de preservação. Elas precisam da mentira para ajudar e serem ajudadas, mas estão começando a extrapolar”, comenta o perito em crimes digitais Wanderson Castilho, que ministra cursos sobre técnicas de detecção de mentiras utilizadas pelo FBI e pela CIA. “É por isso que existem tantos recursos para detecção de mentiras. No Brasil, por exemplo, existem duas câmeras registrando coisas para cada cidadão. As pessoas precisam de provas, pois ninguém acredita mais no outro”, continua.

Wanderson afirma que, quanto maior a diferença de poder entre as pessoas, maior o nível de mentira envolvida na relação. Muitas vezes, a mentira é contada para evitar situações embaraçosas ou constrangedoras, para não magoar alguém, proteger, ajudar a superar alguma dificuldade ou resolver problemas. São as chamadas “mentiras brancas” ou “mentiras sociais”, que costumam ser aceitas pela sociedade e geralmente não causam danos.

“A mentira é um comportamento natural do ser humano. Para viver em sociedade, as pessoas precisam de alguns artifícios e um deles é a mentira”, conta o psicólogo e professor de Neurociência da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Naim Akel Filho. “Existem mentiras que geram menos problemas do que a verdade. É aceito, por exemplo, quando uma pessoa, por algum motivo, não pode atender o telefone e pede para outra dizer que ela não está. Ou quando alguém pergunta se está tudo bem e a pessoa responde que sim, quando na verdade está tudo mal. A simples omissão de alguma coisa é uma mentira”, diz.

Graves

Não dizer a verdade se torna algo prejudicial quando isso é usado como arma contra os outros. Mentiras graves são aquelas que prejudicam familiares, amigos, colegas de trabalho, vizinhos ou mesmo um grupo de pessoas. Geralmente são contadas com o intuito de seduzir, tirar proveito e obter poder. Em um casamento, por exemplo, a mentira pode se tornar uma coisa negativa quando infringe as regras ou o que é combinado dentro da relação do casal.

“No casamento, a mentira sempre vem acompanhada de outros problemas. Ela acontece quando a pessoa quer fugir de uma responsabilidade ou facilitar a própria vida, sendo que mudar é considerado difícil. A principal consequência da mentira na relação de um casal é a quebra da confiança”, declara a psicóloga relacional sistêmica Rafaela Senff Ribeiro, que realiza terapia com casais.

Quando a mentira se torna algo compulsivo e a pessoa que mente passa a construir sua vida em torno das inverdades que conta, ela se torna uma doença, chamada mitomania. “Quando a pessoa é doente, a mentira é algo patológico. A pessoa mente compulsivamente e necessita de tratamento. Este geralmente se dá através de psicoterapia e medicação”, informa Naim.

Pais podem incentivar ato nas crianças

Mentir não é prioridade dos adultos. As crianças também contam mentiras, mas elas ocorrem de forma diferenciada em cada fase da infância. Segundo o neuropsicólogo e professor de Medicina da PUCPR, Egídio José Romanelli, entre crianças de até 4 anos de idade existe o animismo infantil.

“O animismo é dar vida a tudo o que se imagina. Acontece, por exemplo, quando a criança diz que tem um bicho embaixo da cama. Aquilo não é uma mentira, pois embora o bicho não exista, na cabeça da criança é verdade”, afirma. “Nesta fase, os pais não devem falar que a criança está errada, mas sim entrar no jogo, dizendo que mataram o bicho ou que ele já foi embora.”

Após os 4 nos, a criança entra na fase do faz-de-conta, que se manifesta através de brincadeiras. Ela oferece aos pais alguma comidinha que não existe, fala de fadas, príncipe encantado e outros personagens. “Nesta fase, a criança sabe que determinada coisa não existe, mas faz de conta que ela existe”, diz Romanelli.

Apenas a partir dos seis ou sete anos, meninos e meninas começam realmente a mentir, tendo consciência de que não estão falando a verdade e que aquilo pode livrá-las de algum problema. Egídio diz que, na maioria das vezes, o ato de mentir é incentivado pelos próprios pais. Isto acontece quando são impostas punições à criança quando a verdade é colocada à tona.

“As crianças descobrem rapidamente que quando dizem a verdade são punidas. Para evitar que os filhos mintam, os pais devem valorizar a verdade. Quando descobrem que a criança fez alguma coisa errada, devem explicar que aquilo não deve ser feito. Porém, também devem parabenizar a criança por ter dito a verdade, dizendo que ela não será castigada porque não mentiu”, conclui o especialista.

Detectar mentiras nem sempre requer aparelhos

Diferente do que acontece na história infantil do boneco Pinóquio, o nariz das pessoas não costuma crescer quando elas contam uma mentira. Porém, o corpo humano dá diversos sinais de que uma mentira está sendo contada, seja ela grande ou pequena, maléfica ou não.

A mentira pode transparecer através de uma expressão facial, gestual, voz, fala e mesmo de alguma reação do organismo pela qual não se tem controle, como transpiração, dilatação da pupila e vermelhidão da face.

“O ser humano sabe mentir muito bem, mas não sabe guardar a mentira. Nosso cérebro sempre fala a verdade. Por isso, quando mentimos, estamos manipulando o cérebro, onde acontece uma descarga de adrenalina que faz com que sinais da mentira transpareçam”, diz Wanderson Castilho.

Quando uma pessoa começa a mentir, ela invariavelmente muda seu comportamento, pois entra em estado de alerta. O mentiroso tende, por exemplo, a dizer palavras difíceis, que normalmente não costuma utilizar, ou a usar palavras brandas, que minimizem o ato que cometeu.

“Outra forma de detectar mentira é através da quantidade de vezes que uma pessoa pisca os olhos. Em situações normais, as pessoas piscam de dez a quinze vezes por minuto. Em momentos de estresse, essa quantidade duplica ou mesmo triplica”, explica.

Embora existam algumas diferenças na forma em que cada pessoa age quando mente, as técnicas de detecção costumam ser as mesmas em qualquer lugar do mundo. Comprovadamente, as expressões faciais são universais e vêm de nossos instintos primários. Entretanto, profissionalmente, a mentira é sempre identificada pela combinação de diversos fatores e nunca por uma única atitude.

“Nos Estados Unidos, técnicas de identificação de mentiras já são utilizadas há 30 anos na solução de crimes. No Brasil, ainda são inéditas. Embora não possam ser utilizadas como prova material, são muito simples e baratas de serem ensinadas a juízes, delegados e policiais. Basicamente, é possível identificar que uma pessoa está mentindo quando o que ela fala não bate com a forma como ela reage”, afirma Castilho


Cintia Végas


Título original: “Nem sempre contar mentiras é maléfico”

Fonte: http://www.parana-online.com.br

A bíblia diz…

“Certamente que os homens de classe baixa são vaidade, e os homens de ordem elevada são mentira; pesados em balanças, eles juntos são mais leves do que a vaidade”. Salmos 62:9

“Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado”. Salmos 12:2

“Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam”. Isaías 64:6

“Assim diz o SENHOR: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!” Jeremias 17:5

Um dos motivos pelo qual as pessoas se atraem por Deus é pelo fato Dele ser o único que não mente, e com isso se torna a única opção lógica de confiança.

Como é bom encontrar alguém que fala 100% verdade!

Roberto Aguiar

About these ads

4 Respostas to “O Mundo Comprova o que a Bíblia diz: “Todo Homem é Um Mentiroso Inveterado””

  1. Rdo Eugênio Ferreira Pimentel Says:

    A Escritura Sagrada diz claramente que os mentirosos não herdarão o
    Reino de Deus. Quem mente é filho do diabo,pois o diabo é o pai da ‘
    mentira.cf joão 8:44. Sejamos portanto sinceros nos mínimos detalhes
    pois o fim se aproxima rapidamente e virá inesperadamente.Maranata,
    venha a nós o Teu Reino. A Deus toda a honra e toda a glória!

  2. Rdo Eugênio Ferreira Pimentel Says:

    Os mentirosos não herdarão o Reino de Deus. Quem mente é filho do diabo.cf.João 8:44.

  3. André Dargains Says:

    Se homens mentem, e a bíblia foi escrita por homens, então a bíblia é falsa?

  4. Cícero Says:

    A bíblia, André, foi escrita por homem por ser o único ser vivente que escreve. Deve-se compreender que o homem foi o escritor e não o autor da Bíblia.

Nesse blog, 100% dos comentários são publicados, portanto contribua com sua opinião!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 259 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: